cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Como será trabalhar na Riot Games?

Como será trabalhar na Riot Games?

E aí pessoal, como vocês estão?
Eu tenho 18 anos e comecei a trabalhar e a estudar em janeiro. Curso relações públicas e minha irmã me indicou como auxiliar em um escritório de contabilidade. Nada a ver, né? Mas tem sido muito bom. Eu não posso dizer que gosto do que faço, mas também não posso dizer que não gosto. Meu chefe é gente boa pra caramba e meu trabalho é no geral fácil e até prazeroso em alguns momentos, mas na maior parte do tempo ele envolve coisas que eu julgo cansativas e entediantes, que não combinam nada comigo.
Depois de tanto pensar sobre trabalho e sobre trabalhar com algo que gosto, não consegui achar nada que eu possa chamar de sonho profissional, mas uma coisa me veio a cabeça... Como seria trabalhar com games?

Eu jogo desde que eu me conheço por gente, comecei no Super Nintendo, tive um PS1 e depois migrei para os games online no computador. Comecei com The Duel (que é sim o melhor shooter já criado) e eu lembro de dizer que ia trabalhar na Level Up! quando crescesse.

Depois de ler mais sobre a Riot, assistir a vídeos (principalmente o Frequencies: The Music of League Of Legends que eu recomendo muito) e ler algumas matérias sobre como é trabalhar na Riot, eu fiquei animado! A ideia de trabalhar com algo tão familiar quanto jogos me fez sentir muito bem.

Como vocês acham que deve ser trabalhar na Riot ou em outras empresas dessa industria gigantesca que é a industria dos jogos? Tem vontade de trabalhar com algo nesse meio?

Heart Um big beijo.

57 RESPOSTAS
Highlighted
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Fala meu consagrado Hentai Gourmet (no mínimo peculiar seu nick :X, rsrs ), tudo bão?

 

Me chamo Fred, atualmente recrutador para o escritório do Brasil da Riot Games (to sempre de olho por aqui , mas de vez em quando eu me arrisco a escrever uma abobrinha ou outra Smiley Tongue).

 

Adorei sua pergunta! Vou tentar responder ela contando um pouco de como é a MINHA experiência de trabalhar com games e em uma empresa como a Riot Games (onde acho que o que faz a grande diferença é a nossa cultura, mais do que nosso produto!).

 

E para isso, deixa eu dar um pouco de contexto sobre minha trajetória profissional... Quando tinha meus 18 anos eu não tinha muita certeza de com o que eu queria trabalhar (nem tinha idéia de que ia trabalhar com recrutamento!), mas uma coisa era bem clara para mim, queria trabalhar com PESSOAS.

 

Sendo assim, acabei escolhendo uma formação mais coringa (Administração de Empresas) que me desse a oportunidade de ter um leque mais aberto em termos de disciplinas para estudar e assim me permitir "experimentar" antes de realmente decidir para que lado eu iria direcionar meus esforços de carreira.

 

Meu primeiro estágio (ainda estava no primeira ano da faculdade) foi em uma escola de inglês, onde tive a oportunidade de conhecer minha antiga chefe, uma das pessoas mais incríveis que tive a sorte de conhecer em minha vida. Porque? Porque diferente de muitos primeiros chefes que colocam seus times para fazer o trabalho braçal, ela topou do desafio que hoje chamo de "me ensinar a trabalhar"... Pois é, ela me ensinou valores, como me comportar em diferentes ambientes, me ensinou a pensar antes de falar e a sempre se preocupar com a experiência do nosso cliente (de tudo um pouco quando pensamos em competências comportamentais). Outra coisa que trago comigo até hoje é ter aproveitado que eu trabalhava em uma escola de inglês para fazer TODOS os cursos possíveis (sem isso, eu não estaria na Riot Games hoje ou em qualquer outra empresa multinacional).

 

Eu trabalhei nesse lugar por mais ou menos dois anos, mas em dado momento eu percebi que meu ciclo por lá estava se encerrando - ou eu virava um supervisor de atendimento aos clientes ou professor de inglês... Eu queria mais, eu queria voar mais alto. Sendo assim, decidi empreender (outra vontade que sempre tive desde cedo, ter meu próprio negócio! Chick, não? Kkkkk... Mal eu sabia o que o futuro me reservava).

 

Durante um ano eu naveguei neste desafio de ser o próprio dono do meu nariz, da minha empresa. Parece glamouroso e às vezes o pensamento é: O negócio é meu então vou tocar ele bem mais de boa, tendo um horário mais flexível para assim aproveitar mais a vida... Doce ilusão. Empreender não é fácil! Você trabalha basicamente 24/7 e algo der errado, já sabe de quem é a culpa! Mas não vou me estender muito nos detalhes. Mesmo sendo um grande desafio para um jovem (na época tinha meus 21 anos) em início de carreira, foi uma experiência incrível e me ajudou a aprender muito sobre priorização de tempo, experiência do cliente e vendas, sim MUITO sobre vendas. Mas o mundo ainda parecia pequeno, mesmo com alguns sucessos na minha empreitada, eu ainda sentia que faltava algo e nessa época por conta da minha formatura eminente na faculdade eu decidi me jogar de volta para São Paulo (eu sou paulistano, nasci em São Paulo mas na época morava em Santos, onde fazia minha faculdade). Decidi me jogar para as oportunidades nas GRANDES EMPRESAS.

 

Eu me lembro de nesse momento vir morar na casa de um amigo em São Paulo (sim, de favor... Em troca eu carregava ele no online do Battlefield IV, rsrs) e de me inscrever em mais de 30 processos de oportunidades para trainee em grandes empresas como Itaú, Natura, Unilever, GVT, E&Y, Deloitte, entre outras (vários segmentos diferentes, pois aquela incerteza do que eu queria para minha vida ainda estava lá). Eai Fred? Passou em todas? Fon! Claro que não! Eu passei em duas... Trainee da área de People & Change da E&Y (https://www.ey.com/br/pt/home) e Trainee Comercial na Mãe Terra (https://www.maeterranaturaiseorganicos.com/). Duas empresas completamente diferentes em cultura (uma tradicional consultoria big four, outra empresa familiar que vinha se digitalizando - duas funções também diferentes: uma para trabalhar com vendas corporativas, outra com processos da área de recursos humanos). Bom, no fim das contas escolhi a Mãe Terra, me parecia uma melhor opção por uma maior afinidade com a cultura da empresa e porquê eu ganharia um carro no pacote... UM CARRO MOÇADA! Não preciso nem dizer que foi cagada né? Eu não me adaptei a cultura da empresa, não curtia vender para grandes empresas e o carro, O CARRO me ajudou a sofrer dois acidentes em menos de um ano (não me julguem! Kkkk... Bateram em mim! As duas vezes!).

 

"MAS EAI FRED? Como você desenrolou essa mermão?" Pois é, foi um dos anos mais infelizes da minha vida profissional (por minha culpa! A Mãe Terra era uma empresa muito legal, com muita gente MUITO legal, eu só estava no lugar errado). Eu me arrastava para ir para o trabalho e quando dava a musiquinha do Fantástico, dava aquela depressão pesada. Mas beleza, dado momento, no limbo da minha carreira, eis que recebi a ligação de um headhunter que foi a primeira pessoa que me entrevistou quando vim para Sampa. Ele começou a ligação dizendo que se lembrava do nosso papo e que de certa forma ele tinha curtido minha história e perfil... Em seguida ele perguntou com o que eu estava trabalhando e se estava feliz... Bom, não deu dois dias e eu estava nas lojas Colombo comprando um par de ternos pois tinha aceitado a proposta para me tornar um HEADHUNTER!

 

"AGORA SIM FRED! GLAMOUR! RIOS DE DINHEIRO E VIDA FEITA!!!" Bom... Não foi bem por ai, kkk... Apesar de sim estar em um ambiente profissionais de maior exposição e glamour profissional, foram os anos da minha vida profissional que eu mais trabalhei em termos de carga horária. O normal era das 8 às 20, mas era natural ficar até 22 ou madrugada a dentro. Era muito cansativo, mas ter a minha volta pessoas incríveis e engajadas, me ajudou a aprender como navegar bem nesse ambiente e cultura. Meu avô uma vez me disse que dedicação + resiliência = resultado. E depois de um tempo, o resultado veio! Veio grana, veio promoção, veio novos desafios. Eu tinha me encontrado! Trabalhava com PESSOAS e tinha me encontrado em RECRUTAMENTO E SELEÇÃO, a segunda grande descoberta sobre mim.

 

(nossa, tá ficando grande isso aqui... Espero que não me odeiem, kkk)

 

"Poxa Fred, a pergunta era sobre como é trabalhar com games e você vem com toda essa ladainha?" Estou chegando lá! Apesar de profissionalmente ter me conectado com GAMES só em 2014 (quando comecei a ajudar a Riot Games a contratar talentos como parceiro ainda) eu sempre fui gamer. E ser gamer não tem a ver com qual plataforma você joga, de que país você é, qual sua idade, credo, raça ou sua orientação sexual. Também não tem a ver com o gênero do jogo que você gosta, nem com títulos específicos ou até mesmo se você consegue ou não "platinar" um jogo. Com o tempo eu fui entendendo que para mim qualquer um pode ser gamer. Que um gamer não joga quando tem tempo livre, mas sim faz (e reserva) tempo na sua agenda para jogar. Que ser gamer é algo que é parte integral da personalidade de cada um.

 

Foi conectando PESSOAS + R&S + GAMES que comecei a perceber que amo como minha carreira profissional tem se desenvolvido. Percebi que eu sou o único responsável por tentar construir um caminho que junte as coisas que eu amo fazer. Para mim é incrível acordar todo dia e saber que vou ter desafios enormes que se conectam com três coisas que são essenciais para me realizar profissionalmente. Não vou negar que trabalhar com games me trás uma motivação extra no dia-a-dia (adoro jogar aquele ARAM depois do almoço pra relaxar) mas não é só por ser games e sim porque eu amo essa parada! Se eu amasse cozinhar (até curto!) e trabalhasse em um restaurante que eu admiro, por mais difícil que fosse meu dia-a-dia, acho que a sensação seria parecida...

 

Pra fechar, um dos conselhos que dou para que almeja um dia trabalhar em uma empresa como a Riot Games é: "Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades" Stan Lee/Tio Ben (Homem-aranha).

 

Eai? Você já parou para pensar na sua formulinha da felicidade? Espero que tenha respondido sua pergunta de uma forma "diferente" e obrigado se você leu minha história até aqui! GGWP!

 

Ps: Se tiver curiosidade, meu LinkedIn (me add lá!) mostra um pouco mais da minha trajetória profissional: https://www.linkedin.com/in/fredericomachadodecampos/

Fred "MrMundico" Machado de Campos
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Ficou gigante a história! Kkkk.. Próxima resposta eu prometo ser objetivo! Smiley Tongue
Fred "MrMundico" Machado de Campos
Arauto

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

@Mundico Uma duvida rapida a RiotGames Brasil pode interferir em questoes da jogabilidade/balanceamento ou é apenas uma correspondente da RiotGames NA

Arauto

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Caramba Fred (vulgo @Mundico )... uma baita história para inspiração e aprendizado! Curti demais esse seu relato. Parabéns pelo sucesso e que você cresça cada vez mais!!!! TMJ.
Tropa

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Achei que eu estava lendo a Bíblia, não acabava nunca, mas uma bela história sempre prende os leitores.

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

A Riot paga os funcionários com baú hextec mas só se eles baterem a meta de lançarem mil skins pra lux
Arauto

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Tem os que trabalham e tem os preguiçosos do Ticket... Jesus aquilo nem pode ser considerado um trabalho de tão horrível e robótico que é .
Dragão

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Eu também tenho acompanhado faz um tempo alguns trabalhos da RIOT, e acho muiiito OP ahduahduhad

Já trabalhei em administração de jogo online, mas era um server pirata (Gunboud GitzWC), eu fui Moderador do fórum, depois o pessoal me chamou pra ser suporte (tickets!!!), comecei a desenvolver artes e eventos e virei GM, até parar na administração do jogo hahaha, é tipo uma escadinha né? Porem depois sai da equipe para me dedicar mais no pessoal/profissional (offline)... Mas mesmo sendo um server pirata, valeu a experiencia!

Foi ali que percebi que curtia isso! Estou buscando aprender um pouco de inglês, pra ir melhorando com o tempo, porque esse parece ser um dos pontos necessários para trabalhar na RIOT (ela é internacional né xD)

Imagino que trabalhar na RIOT não seja só ostentação não, muita gente vê títulos de profissões e acham aquilo mil maravilhas, mas com certeza existe cobranças de acordo com a função, exigem dedicação, noites em claro, etc, faz parte do pacote! hahaha

Quem sabe um dia né?! Bora tentar! xD

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Vou esperar sair o livro para ler :3 Kappa!
Tropa

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Adorei ver quanto a tua jornada até chegar na Riot. Sempre vi a Riot como uma bela opção para se trabalhar. A empresa é muito bem vista no geral, mesmo que tenham acontecimentos recentes que foram negativos em outro país, sempre se posicionaram muito bem perante a comunidade. Um dia ainda quero trabalhar com games, e seria muito bacana se fosse na Riot. Às vezes dou uma olhada nas vagas disponíveis, mas para mim seria um grande desafio de morar longe da família, pois moro em outro estado. Isso é mais comum nos dias de hoje pois é muito fácil e acessível viajar, então ainda tenho esperanças.

 

PS: Também sou Fred. xD

Tropa

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

quero trabalhar pra riot tmb onde mando cv? kkkkk
Arauto

Re: Como será trabalhar na Riot Games?


@DioMans@  escreveu:
quero trabalhar pra riot tmb onde mando cv? kkkkk

Rapaiz... só enviar o currículo na aba "trabalhe aqui" na página da RIOT, só que tem muitos requisitos pra passar na seletiva (por exemplo: Falar Inglês e ser no mínimo DIAMANTE V - zueira, tem que ser Diamante III) ahsuhauhasushsauhua (mas é sério a parte de colocar o curriculo e dos requisitos.

Arauto

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

assedio dos tiuzão
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?


@Lagarto98@  escreveu:

@Mundico Uma duvida rapida a RiotGames Brasil pode interferir em questoes da jogabilidade/balanceamento ou é apenas uma correspondente da RiotGames NA


"Sup" meu consagrado!

A Riot Games é um empresa com presença global e temos uma cultura de feedback forte em todas as operações espalhadas pelo globo. Acho que as escolhas das suas palavras na sua afirmação são fortes, por exemplo "interferir". Por exemplo se Rioters do Brasil enxergarem que o time de de balanceamento de LOL (que fica nos EUA, na nossa matriz) fazendo alguma "cagada" ou sugerindo algo que entendemos que pode gerar um impacto MEGA negativo para a experiência do jogador, com certeza vamos dar um feedback para eles com esse contexto. Agora poder de interferência é algo muito forte pois precisamos entender que no Brasil não temos responsabilidade direta por essa disciplina (balanceamento de LOL). Ou seja, indo direto ao ponto: Temos poder de feedback, não interferência. Portanto não somos apenas um correspondente, mas sim um escritório que faz parte do grupo.
GG?

Fred "MrMundico" Machado de Campos
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?

Yey! Que bom que gostou... Não é sempre que consigo estar aqui, mas estou cada vez mais presente! GGWP e TMJ
Fred "MrMundico" Machado de Campos
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?


@Sheri Vii@  escreveu:
Achei que eu estava lendo a Bíblia, não acabava nunca, mas uma bela história sempre prende os leitores.

Assim eu derreto de amores! Hahahaha, vlw pelo feedback, vou tentar ser mais objetivo nas próximas. GG!

Fred "MrMundico" Machado de Campos
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?


@ERICK KILLER X@  escreveu:
A Riot paga os funcionários com baú hextec mas só se eles baterem a meta de lançarem mil skins pra lux

Kkkkkk... Ai eu amo nossa comunidade, obrigado por me fazer rir.

Fred "MrMundico" Machado de Campos
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?


@payphone@  escreveu:
Tem os que trabalham e tem os preguiçosos do Ticket... Jesus aquilo nem pode ser considerado um trabalho de tão horrível e robótico que é .

Poxa, que pena que sua experiência com nosso PS tem sido ruim e "robótica"... Eu estive pessoalmente com esse time em um treinamento que falamos sobre feedback. Eu fiquei positivamente com o time, galera engajada e super comprometida a trazer as respostas para nosso jogador com bastante embasamento e velocidade.

Espero que nas próximas a sua experiência melhore!
GG e obrigado pelo seu comentário.

Fred "MrMundico" Machado de Campos
Rioter

Re: Como será trabalhar na Riot Games?


@Ríke@  escreveu:
Eu também tenho acompanhado faz um tempo alguns trabalhos da RIOT, e acho muiiito OP ahduahduhad

Já trabalhei em administração de jogo online, mas era um server pirata (Gunboud GitzWC), eu fui Moderador do fórum, depois o pessoal me chamou pra ser suporte (tickets!!!), comecei a desenvolver artes e eventos e virei GM, até parar na administração do jogo hahaha, é tipo uma escadinha né? Porem depois sai da equipe para me dedicar mais no pessoal/profissional (offline)... Mas mesmo sendo um server pirata, valeu a experiencia!

Foi ali que percebi que curtia isso! Estou buscando aprender um pouco de inglês, pra ir melhorando com o tempo, porque esse parece ser um dos pontos necessários para trabalhar na RIOT (ela é internacional né xD)

Imagino que trabalhar na RIOT não seja só ostentação não, muita gente vê títulos de profissões e acham aquilo mil maravilhas, mas com certeza existe cobranças de acordo com a função, exigem dedicação, noites em claro, etc, faz parte do pacote! hahaha

Quem sabe um dia né?! Bora tentar! xD

=D Adorei a resposta!
Inglês é super importante hoje para o mercado de trabalho pois estamos cada vez mais globalizados Smiley Wink Não só para a Riot mas para qualquer outra empresa internacional.
BORA SE CAPACITAR E TENTAR! O não já temos né?
GGWP

Fred "MrMundico" Machado de Campos