cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

[DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Highlighted

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Todo ano, no segundo semestre, repensamos tudo o que faremos no ano seguinte (na verdade, há anos em que planejamos os próximos três anos, e aí no final de cada um, conversamos e fazemos diversas reuniões para entender se temos que pivotar pra algum lado ou se estamos no caminho "certo/programado", ou se tem alguma demanda que precisamos atender), isso relacionado a todas as coisas: regulamento, calendário, janelas de transferência, punições, sustentabilidade do cenário, modelos de negócio, por aí vai.
Claro que é uma conversa recorrente e que acontece durante o ano todo, mas a partir do momento que começamos uma nova temporada, já precisamos ter tudo definido para garantir a segurança dos times e dos investidores no cenário e não criar uma situação de instabilidade.

E aqui entra muita coisa, do que a torcida sente, do que as organizações e pro players sentem, enfim. Muitas coisas fazem pararmos e refletirmos se estamos indo na direção certa ou se é hora de reavaliar algumas coisas, como foi no ano passado após o CBLoL e o Mundial, o sentimento que ficou na comunidade e o feedback de todos os envolvidos no cenário. Isso gerou bastante discussão interna e, no final, foi UMA DAS motivações por trás do novo capítulo do CBLoL (https://br.lolesports.com/noticias/cblol-2018-o-novo-capitulo).

Quanto ao cenário internacional, claro que temos uma voz ativa com quem cuida primariamente disso (Central - não confundir com NA, já que ficam no mesmo campus), mas há uma parte que lutamos internamente e outra que precisamos mostrar internamente através de cada oportunidade que temos de disputar um campeonato internacional.

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais


@XsBr@  escreveu:

@LeonButcher Talvez eu disse "TALVEZ", se tivessemos no brasil um campeonato nacional, tipo nacional mesmo interligando todas as regiões fazendo eliminatorias até chegar em uma md5 final com dois time, mesmo que seja no formato do CLASH que está vindo aí, eu digo isso porque todos os jogadores dos times profissionais brasileiros são jogadores de SoloQ e todos nós sabemos que a soloQ brasileira é um verdadeiro caos, talvez se abrissem o acesso a jogadores de soloQ para participar de um campeonato realmente competitivo, talvez mudaria a mentalidade da comunidade brasileira em relação a levar o jogo mais a sério e buscar melhorar.

 

Eu digo isso porque querendo ou não daqui uns tempos os jogadores vão se renovar dentro do cenário competitivo nacional e o que serve de parâmetro para as equipes, o que serve de vitrine para os jogadores é a soloQ. Jogadores como BrTT, Takeshi, Srt, Tockers entre outros, são jogadores já rodados e que mais cedo ou mais tarde irão se aposentar como por exemplo Yoda e Kami que já seguiram por esse caminho deixando assim lacunas abertas que precisam ser ocupadas. Quem sabe se o jogador comum de SoloQ ja viesse com uma mentalidade formada pela própria soloQ de que ele precisa melhorar constantemente, quando ele chegar em um cenário competitivo poderá render muito mais pra sua equipe e contribuir para um crescimento geral e uniforme do cenário.

 

Eu digo isto porque a comunidade BR é muito volátil, é só você entrar na Twitch quando está tendo uma transmissão e repara o Chat, se um jogador erra em uma rotação, ou se morre pra gank early game, o chat simplesmente já condena determinada atitude e também manda o famoso GG FULANO DE TAL. E isso é oq acontece na SoloQ mas diferente do competitivo onde o jogador se mantém concentrado e consegue voltar na partida, na soloQ isso não ocorre e aí começa aquela guerra no chat de xingamento e pings pelo mapa em cima do jogador que no final de tudo não resulta em nada apenas em uma partida perdida.

 

 


Fala cara!

 

Então, eu acho que a solo queue tem sim um papel fundamental na criação de um cenário competitivo mais sério, além de agir como vitrine de jogadores para muitas equipes que não tem alcance de marca ou possibilidade de fazer uma peneira. Agora, é importante destacar a mentalidade com a qual nós tratamos um jogo de solo queue.

 

Acho que atualmente, todos (pros e comunidade) tratamos ela como algo que não tem problema vencer ou perder. Que o nível individual vai ditar o ritmo. Mesmo que caiam 5 pros de cada lado, a probabilidade de ser um jogo focado em rotações, objetivos e tudo mais é quase ínfima. E não me leve a mal, acho que isso acontece em todas as regiões, basta ver o pessoal da Keyd (que está fazendo bootcamp na Coreia) falando no Twitter que muitos jogos acabam logo no começo porque as pessoas perdem a lane e somente desistem do jogo.

 

Qual é a real diferença deles para nós? Mecânico e talento eu sei que não é, já que temos jogadores fantásticos por aqui. Dedicação, mentalidade e profissionalismo são as coisas que eu penso que se destacam quando falamos de SOLO QUEUE internacional. É algo que começa desde os níveis mais baixos até o Desafiante. É algo cultural também. Temos a tendência, como brasileiros, de levar as coisas sem esquentar muito a cabeça e fazer piada disso.

 

Enfim, mesmo a nível de solo queue temos muito a mudar - e isso é só um dos assuntos dentro de diversos outros assuntos que compõe um desafio grande pra nossa região. Precisa começar de algum lugar, e acho que todos nós temos um papel a cumprir em relação a isso.

Arauto

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

- Educar o cenário brasileiro: mais vídeos no canal da Riot sobre estratégias; liberar áudio dos Cblols antigos; os técnicos das equipes gravarem conteúdos no canal da riot com informações e conhecimento; promover tudo isso na tela de login; ampliar a central de conhecimento/aprendizagem para o client (como link);

- Marketing/Investimento/Merchan: Não sou expert nessa parte, mas acredito que a Riot poderia abrir anúncio para marcas na transmissão, venda de produtos durante as transmissões, estimular compra de RP, teasers de skins, rwks, etc. Tudo durante as transmissões. Isso pode aumentar a receita, consequentemente aumentar uma parcela de investimento?

- Campanhas para mudarem comportamento, atitudes, egoísmo de muitos pro players e head coachs: Seja colocando um banner no site do lol.br logo qnd vc entra, sobre vídeos educativos no youtube, campanhas, etc; add conteúdo e frases na tela do cliente; acampamento yordle repensado.

- Reuniões entre Riot br e organizações: Tentar resolver isso aí né cara, a galera ta fumando demais precisam se unir. As organizações precisam pressionar os jogadores, eles precisam se ver além de figura pública, como jogadores e REPRESENTANTES. Tirar essa noção que a internet é uma terra sem lei, que o LoL é um jogo que por mais que vc seja profissional que assinou um contrato, existem regras que precisam ser seguidas. Jogadores que não sabem receber críticas, etc etc etc

- Incentivo a trazer profissionais de fora para trabalharem conosco: Não falo apenas de jogadores de fora, mas treinadores, analistas, de outras regiões para ajudarem a abrir nossas cabecinhas de SoloQ, rotações decoradas, drafts fraquinhos etc.

Duo da Rito

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais


@euJuuno@  escreveu:
@Riveraquela INTZ campeã de tudo em 2016 com o Peter, sempre falava em entrevistas que queria só treinar no Brasil pra chegar no cenário internacional, que no Brasil não tinha desafios. Infelizmente o treino deles aqui era ruim e chegaram lá 6/10 e a divisão do time deu uma melhorada no cenário inteiro, repassando o conhecimento pro restante dos jogadores. Feliz quem soube aproveitar e absorver isso. Nuddle é outro que veio pra agregar.

Pensando agora, não seria bom um investimento da Riot mesmo, em contratar um Peter da vida, alguém bem experiente pra infundir conhecimentos, não só em um time, mas em todos? Algo como um "mentor" que repassa a informação pros técnicos que seja, que repassam aos jogadores. O certo é, o jogo é o mesmo pra todo mundo, pra evoluir e melhorar é tudo questão de treino, conhecimento e mentalidade.

Cara, olhando rápido a ideia parece realmente boa, mas na prática acho que não daria muito certo. Tenho minhas dúvidas se uma ação tão direta assim na evolução da liga seja cabível à Riot (lembra que eu sou de fora, belê?). Enxergo que a empresa seja responsável por fomentar a liga, sim, buscando planos de negócio que a tornem cada vez mais rentável (anúncios e patrocinadores, talvez?) e ofereçam segurança para que os times invistam com a certeza de que é um negócio sério. Com a maior rentabilidade, chegam os maiores salários, mais estrutura, planos de carreira e tudo isso - tudo isso a médio/longo prazo, imagino. Claro, precisa ser gerido por pessoas capacitadas, que saibam onde, como e quanto aplicar.

 

Fora isso, seria muito fácil cair em problemas de agenda. Imagina só todos os técnicos precisarem reservar tempo da agenda para falarem com esse profissional contratado pela Riot. É uma receita bem simples para dar errado. E aí, se alguém recusa essa ajuda e não avança tanto na competição, poderiam surgir conversas sobre favorecimento - e com alguma razão, até. Não parece tão bom.

 

Não vejo a solução em um único profissional. Apesar do sucesso que o Peter (+Abaxial) e Nuddle conquistaram, não apostaria minhas fichas em UM técnico absurdo. As comissões precisam crescer. Precisamos de um cenário cada vez mais profissional. Não é cabível que haja apenas um ou dois técnicos. Treinar uma equipe, analisar as adversárias, inventar estratégias - isso é trabalho para ser feito em grupos grandes. Lembro do mesmo Peter falando no Twitter sobre o tempo de trabalho que ele tinha em um dia. Era uma coisa surreal. Uma das soluções está em comissões maiores. Você pod pensar no caso da paiN - para mim, acertaram na ideia de que é preciso aumentar o número de profissionais envolvidos, mas tenho minhas dúvidas quanto aos nomes, número de profissionais e à execução.

Dragão

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Foda é que é muito mais problema cultural do Brasil mesmo, do que propriamente da Riot ou do jogo, etc.
Tropa

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Bom, eu não sou um especialista no assunto, mas acredito que a má-campanha em torneios internacionais, não só do Brasil, mas de outros países da Fase de Entrada seja por:

 

  1. Falta de Torneios Internacionais/Torneios curtos: Ocorrem 3 torneios internacionais por ano, o MSI, o Rift Rivals e o Mundial (o All-Stars não dá pra considerar porque não são todos os países que participam). Com essa falta de torneios, são poucas vezes que times BR's jogam contra os times lá de fora, e quando acontece, geralmente acontece de maneira rápida, poucos jogos (pra mim 6 jogos é extremamente pouco na fase de entrada do MSI, não dá pra ver 100% de um time e qualquer erro já pode causar desclassificação). E isso, acaba tornando o famoso "ganho de experiência" escasso. Se o número de torneios internacionais não aumentarem, ou a quantidade de jogos jogador por regiões menores, a distancia dos times EU, NA, KR etc. pros times BR, Japão,  LAN, etc. vai ficar cada vez maior.
  2. Falta de empenho dos jogadores: Não acredito que seja o fator determinante, mas esse fator não pode ser desconsiderado. Não acho que a Kabum deu tudo deles nos jogos do primeiro dia por exemplo.  Por mais que seja uma coisa óbvia, os jogadores se dedicarem o máximo possível é uma questão bem importante para ter bons resultados.
  3. Região: Por mais que seja sim possível evoluir sem treinar com times maiores de algumas regiõs, isso ajuda muito na evolução e alguns países são geograficamente prejudicados por isso. Isso não é algo que tenha como mudar, ao menos que alguém conheça um meio de mudar a localização dos continentes e colocar a Coreia do lado do Brasil. xD Mas talvez mais bootcamps por times brasileiros possam ajudar nisso.

Além disso, o Brasil sempre foi extremamente hypado pelos casters como uma das melhores regiões Wildcard, e isso começou a criar uma expectativa nos fãs. "Se somos realmente tão bons assim, porque não ganhamos?", e ganhar começou a se tornar uma obrigação para os brasileiros, e caso o time representante do Brasil lá fora não ganhe/se classifique, acaba recebendo muito hate, e talvez essa pressão de "Se não ganharmos vão nos apedrejar" acabe prejudicando eles na hora de jogar. Nem todo mundo joga bem sobre uma pressão dessas.

 

Para que isso mude, é necessário que a Riot mude nos seus torneios internacionais, que a mentalidade dos jogadores mude e que o Brasil fique do lado da Coreia.

 

 

 

Aronguejo

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Fatores chave para melhorar significamente o cénario e times em geral..
- Respirar LoL

- Comer LoL

- Dormir LoL

- Treinar LoL

- Curtir LoL

Se não esta de férias e você é um pro player de algum time de elite, sua obrigação e trabalho é fazer tudo isso acima Se quiser evoluir. A coreia ta ae.. com 3 times que já mostraram sua força absurda, KZ, SKT e KSV(antiga SSG). 

 

Enquanto alguns ae que são pagos pra jogarem, e tentarem levar seu time a vitória no CBLOL, continuarem achando que essa vida é apenas pra "Luxar"... não iremos a lugar algum em evento internecional.

 

Tudo tem seu preço a se pagar.. e ter vitoria e bom rendimento, exige sacrifícios e muita força de vontade.

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

É incrível o quanto a galera cai em cima de um fato que nem sequer sabemos: o empenho dos jogadores.

Cara, não dá pra avaliar algo que depende de uma pessoa, vai ver eles tão se dedicando ao máximo, mas estagnaram em um ponto e não conseguem extrapolar ele. Não dá pra avaliar o empenho de uma comissão ou player, mas dá pra avaliar seus resultados e usar isso como base.

Eu sempre quis entender como funciona o trabalho de uma comissão aqui no BR, tendo em vista que em outras regiões o número de envolvidos é bem grande nessa parte. Se eu pudesse apontar o dedo diretamente, diria que tá faltando literalmente sentar e ajustar uma comissão estilo PaiN como o River disse. Resta saber o quão rentável isso pode ser pra atrair os olhos de quem realmente vai meter a mão no bolso.

Em termos de competitividade do Cebolão, não tenho dúvidas de que a md3 é um ótimo método. Além de punir severamente as equipes que perdem séries, elas alavancam aqueles que ganham, ou seja, GANHE ou PERCA TUDO, isso por si só já deveria ser um estimulo pros times. Há alguns fatos isolados como a sequencia de partidas do lado azul (que em termos é o lado mais vencedor e disputado em séries) que dão um empurrãozinho na série pro time que inicia nesse lado, mas sinceramente falando? Mundial e MSI vai ter lado azul e vermelho, tem que mostrar serviço nos dois pra segurar a barra das competições. O sistema de escalada é o único que ainda me deixa com pé atrás pra falar, mas no geral, acredito que em 2018 o CBLoL está ok em termos de: competitividade e quantidade de jogos.
Aronguejo

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Falou-se muito de empenho tanto da Soloqueu quanto dos jogadores, verdade é, se for rentável, der dinheiro, muitos vão correr atrás. Até streamers vão tentar entrar sério.
Os campeonatos oficiais precisam de mais dinheiro, uma coisa é perder sabendo que não ia ganhar nada, outro é prêmios grandes, patrocinadores individuais entre outros.

Por que não Campeonato CbLoiro Red Bull por exemplo?Para mim marketing dos campeonatos é fraco.

Quando foi final do desafiante fiz tópicos para comentar sobre IDM subir e o Flamengo vs TOne, poucas pessoas visualizaram ou comentaram. Parece que os campeonatos são mundo a parte.

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Bom, eu li algumas respostas e essa me chamou muito a atenção.

@LeonButcher mencinou que: 

"Acho que atualmente, todos (pros e comunidade) tratamos ela como algo que não tem problema vencer ou perder."

 

A soloq coreana é exatamente desse jeito, eles não ligam em ganhar ou perder e apenas querem jogar a maior quantidade de jogos possiveis. Como sabemos a soloq coreana é a de maior nivel e se um time tiver em uma grande desvantagem muito cedo é quase impossivel virar um jogo porq o pessoal de lá não da esse mole e por causa disso desistem do jogo aos 10/15 minutos e por qual motivo? O Belo motivo de que o Tier Diamond+ da corea(Dizem que equivale ao Challanger Brasileiro) tem MUITOS PLAYERS, então pra achar uma partida é muito mais rápido que no servidor Brasileiro.

 

Fiz uma rápida pesquisa no op.gg e a quantidade de Diamond da Soloq Coreana pra Soloq Brasileira é de somente o DOBRO de players. Então, é muito mais facil você achar uma outra partida e jogar algo equilibrado do que ficar tentando virar um jogo numa soloq quase impossivel.

 

Uma outra coisa que eu também discordo totalmente é que o pessoal da SoloQ BR se importa e muito em ganhar pq o foco dos Brasileiros não é melhorar o seu jogo e sim subir de elo e a SoloQ KR apenas querem jogar o jogo e ser feliz melhorando o seu individual. Ganhar uma partida para eles não vai melhorar o individual e sim jogar a maior quantidade de partidas possiveis o que no Brasil é bem dificil já que enquanto você sobe, menor fica a variedade de players para se jogar contra e maior fica o tempo na fila. Veja o Ranking Challanger Brasileiro e me diga se algum deles tem mais de 1000 jogos até o momento. Apenas UMA pessoa e outros 50% apenas perdem o seu tempo procurando fila quando estão precisando jogar para não cair por inatividade.

 

A Mentalidade da SoloQ BR em ter elo alto e "status" é feita desde os elos mais baixos como o tier gold onde se você morrer 3x na lane o pessoal vai te xingar e vai falar "gg **cogumelo do teemo**, elo job, volta pro bronze, seu m***a, câncer..." e isso faz com que as pessoas pensem que pra se dar bem no LoL basta ter elo alto o que é totalmente errado. O Próprio Platina é assim, quantas partidas eu joguei que o cara ficou me xingando falando que eu nunca iria subir só pq a partida que joguei com ele foi péssima? (PS: Meu nome é feminino, mas sou homem).

 

Tem que fazer muito acampamento yordles pra melhorar primeiramente o comportamento dos jogadores e principalmente ensinar que é essencial você aprender a jogar TODAS as lanes com ao menos 2/3 campeões antes de ir ranqueada (Já que o projeto do ano que vem é ajudar principalmente os bronzes) e com isso, quem sabe, daqui a 1 ou 2 anos os tiers Platinum+ (Ainda falo Platinum pq exigir Diamond é de mais) BR sejam mais fortes.

 

Mas o que isso tudo tem a ver com o Brasil ser ruim internacionalmente?

R: Tudo.

 

Os ProPlayers não tem com quem jogar competitivamente e quando jogam é amigo e ficam zoando (O que não tem problema NENHUM eles precisam descontrair em um trabalho que é totalmente psicologico), algum mono champion ou pessoas que joga contra todos os dias e sabe o que ela vai fazer, não tem variedade de estilos na SoloQ BR para os profissionais melhorar o seu individual ou criar coisas novas que é extremamente importante. Se não fosse pelo individual do Faker a SKT não iria nem pros Playoffs da LCK esse ano.

Aronguejo

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Vejo muitas, inúmeras respostas nesse tópico culpando fatores como a Riot Brasil, o formato do CBLoL, a quantidade de partidas, cobrando novas iniciativas pra melhorar a SoloQ, pra aumentar o campeonato, pra dar mais experiência internacional...

 

A culpa das más atuações não é da Riot. A culpa é nossa, dos jogadores brasileiros como um todo, que alopramos a SoloQ, que desprezamos o Circuito Desafiante, que só apoiamos na vitória e cuspimos na derrota.

 

Primeiramente nós como comunidade não temos um lugar de união da playerbase pra discussão de teoria de jogo, discussão de partidas nem explicações de fundamentos. Esse fórum aqui é "subpopuloso" e a maior fatia unida da nossa playerbase está na ilustre Ilha da Macacada, que majoritariamente só serve pra contar piada.

 

O segundo ponto se alia ao primeiro. Nossos criadores de conteúdo, streamers, youtubers, e subcelebridades do Challenger não produzem nenhum conteúdo educativo. Ninguém se importa com aumentar o nível de conhecimento da comunidade brasileira como um todo, porque o que dá view e dinheiro mesmo é zoeira, é highlights, é fazer meme, é gritar na frente da câmera. O único conteúdo teórico ou didático de qualidade de LoL disponível em português que eu tenho conhecimento é protegido por paywall de no mínimo R$ 35 ao mês, na PlayerLink.

 

Nós somos muito rasos como comunidade. O maior símbolo da nossa Persona de jogador de LoL brasileiro é a zoeira: trollar a SoloQ, fazer uma build marota, repetir os memes dos streamers, rir dos pro players, criar farpas. Isso somos nós, e enquanto nós como um conjunto não mudarmos para uma figura mais séria, o nosso cenário profissional também não vai mudar. Ele é um reflexo direto da comunidade macro, afinal os pro players saem diretamente da SoloQ.

 

Precisamos de mais canais de discussão, precisamos de mais embasamento teórico, precisamos estudar mais o jogo, precisamos de mais vídeoaulas, mais vídeoanálises, mais theorycrafting de builds, comps, rotas da jungle... Precisamos nos tornar um grupo que direciona seus esforços ao progresso coletivo de conhecimento de jogo, e não aos memes e à toxicidade.

 

Isso não é papel da Riot, e isso não é papel somente dos pro players, isso é uma mudança que tem que acontecer com os jogadores brasileiros como um todo, e enquanto alguém com conhecimento e recursos suficientes não der o pontapé inicial, nós talvez não sairemos do lugar.

Dragão

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

@Iabarid Massa o teu ponto de vista cara. Gostei e concordo contigo.

Re: [DISCUSSÃO] Campanha da KaBuM no MSI 2018 e o Brasil nos Eventos Internacionais

Animal cara, bem legal o pensamento.

Acho que são reflexões que temos que ter mesmo. E não somente quando um time brasileiro é eliminado de um campeonato internacional. O grande desafio é nos manter travando essa "guerra" a favor de um servidor melhor, seja por comportamento ou habilidade. Todos temos um papel a cumprir, e o começo disso passa exatamente por pensarmos a respeito.

Valeu demais a todos que participaram desse tópico!