cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Highlighted
Aronguejo

Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Olá, pessoal! Hoje estou aqui para discutir algumas coisinhas com vocês.

 

Primeiro: O que é um ASSASSINO? Quando um burst é "saudável" para o jogo?

Imagem relacionada

De acordo com o Blog do Desenvolvedor sobre as Subclasses, "Os Assassinos são especialistas em se infiltrar nas linhas inimigas com sua mobilidade inigualável para rapidamente destruir alvos de alta prioridade. Por ter uma natureza principalmente de ataque corpo a corpo, os Assassinos precisam se colocar em situações perigosas para poder eliminar seus alvos. Por sorte, eles sempre têm umas cartas defensivas embaixo da manga que, se usadas corretamente, permitem que eles se defendam do dano que vem em sua direção."

 

Foi também durante o rework dos assassinos em 2016 que foi dito que um burst precisa ser saudável e possuir counterplay. Isso não significa "diminuir o dano", mas "aumentar a janela de burst".

 

Segundo: O problema Wukong-Quinn.

Resultado de imagem para quinn wukong

Pode parecer contraditório, mas as subclassses que o Wukong e a Quinn pertencem não são a subclasse dos assassinos. Wukong é descrito como um Diver (ou um Lutador-Mergulhador), enquanto a Quinn é descrita como uma Atiradora. Mas convenhamos, todos nós sabemos que ambos Wukong e Quinn possuem um estilo de jogo unicamente assassino, e não são saudáveis, por mais que eu ame jogar de Quinn.

 

Atualmente, Wukong e Quinn estão em um estado bom até demais no jogo. Wukong, recentemente, recebeu um pequeno nerf no dano do seu E no PBE, e na semana que vem, entrará no jogo. Não tenho certeza sobre o estado da Quinn na "fila de balanceamento".

 

O fato é que, ambos os campeões, possuem bursts impossíveis de se lidar contra quando você é um carregador. Principalmente um carregador AP, que não compra Anjo Guardião. A explosão de dano do Wukong é extremamente rápida e efetiva com seu combo E+Q+R, e tem um escape extremamente efetivo também (W) que é capaz de bloquear skillshots também. Quinn, por sua vez, não possui um escape confiável. A maior parte do seu potencial de fuga está na velocidade de movimento do W e seu E (um CC point-and-click normalmente usado para iniciar seu combo), mas seu burst também é muito efetivo, talvez até mais saudável que o do Wukong e da Diana (que falaremos mais pra frente).

 

Resultado de imagem para quinn lol

Acredito que o principal ponto de frustração da Quinn é que ela é uma assassina com alcance e um CC point-and-click que segue até seu flash. Estes dois pontos tornam qualquer assassino difícil de se lidar quando combinados.

 

Terceiro: Diana.

 

Assim como o Wukong, a Diana é descrita como uma Diver (Lutadora-Mergulhadora). Ao contrário do vastaya, Diana não possui escape algum. Mas ainda sim, o burst de Diana ainda é muito frustrante. O combo de Q+W+R+AA é o suficiente para deletar qualquer campeão squishy no fim do jogo. Seu burst surreal de assassina torna a campeã extremamente volátil. No low elo, ela é uma deusa. No high elo, ela é extremamente punida por ser unidirecional (vai e não volta). De qualquer maneira, se você não tem um Zhonya (para usá-lo antes do R da campeã), você com certeza morrerá para o combo dela.

 

Resultado de imagem para diana lol

 

Quarto: TODOS os três campeões podem ser considerados assassinos de acordo com seus respectivos estilos de jogo. A Diana ainda possui uma reflexão de seu estilo Diver, já que não possui um escape confiável em troca de um escudo e resistências extra. Podemos chamar este efeito de "conflido de identidade". Campeões como Evelynn, Fizz e Ekko já tiveram, um dia, este mesmo problema, onde tinham estilos de jogo que eram "empurrados" para outras classes (escudo na ult da Evelynn, on-hit e sobrevivência do Fizz, escudo e cura do Ekko baseados em vida e alto dano base). O que poderia ser feito com Wukong, Quinn e Diana, levando em consideração seus estilos de jogo?

 

Conclusão: O ponto que eu quero chegar é: até quando um burst 100-0 vai poder existir no jogo? Até quando será saudável? Qual o preço de um dano absurdo? É viável que campeões considerados Divers e Atiradores possuam um burst maior, mais confiável e mais efetivo que muitos assassinos (como Kassadin e Katarina)?

 

Por fim, desde já digo que esta não é uma reclamação pessoal. Estou apenas fazendo uma discussão de gameplay baseada na opinião de muitos jogadores que usam, tanto os fóruns oficiais da riot, quanto o reddit. Muito obrigado.

25 RESPOSTAS
Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Realmente, como main assassino sempre achei estranho Diana e wukong estarem na classe de lutadores já que seus estilos de jogo são bem mais parecidos com de assassinos e não de lutadores como fiora, camille, irelia,etc que são baseados em aa.
Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Assassinos eram para ter "counterplay" até o lançamento da Zoe. Depois dela, perdeu o sentido acabar com os 100-0.

E todos esses campeões possuem pontos fortes e fracos. Se você buildar full dano no Wukong, ele perde bastante potencial de farm e gasta muita mana; Diana é full all-in; e Quinn de letalidade é tipo um Rengar, é só ficar todo mundo juntinho que ela não faz nada (inclusive a melhor Quinn da SoloQ, o Asteek/Tier 1, só builda ela de crítico).

Eu não tenho nenhum contra esses campeões. Apesar de serem fortes, não são populares, e isso os torna bastante balanceados visto que nos elos altos (que é aonde mais se destacam) tem quem saiba neutralizar. E espero que esse nerf no Wukong só sirva para tirar mais a atenção da Riot dele.

Arauto

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

O problema esta nos itens, não nos campeões

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades


@Bills  escreveu:
O problema esta nos itens, não nos campeões

tem como detalhar mais? quero entender melhor seu ponto de vista, afinal, eu também acho a Duskblade um pouco sobrecarregada com a quebra de visão

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

@One Punch Cop
Zoe ao contrario de muitos assassinos, é voltada pra skill shot, e isso por si só ja da brexa pra counter play, no caso da Quinn (E, R e AA), Wukong (Q e E) e também a Diana(R) não tem um exato counterplay, claro, Wukong tem um dash que é bloqueável, Quinn você pode apenas lançar uma skill pra diminuir o speed do R, e a Diana torcer para que seu time mate ela pois você provávelmente ja ta morto.
Em resumo, o tópico não pede especificamente que eles sejam nerfados, mas sim sigam sua classe, eu jogo a pouco tempo mas um dos rework que mais provou isso foi o da Evellyn, jogava com a antiga e o mais "Assassino" que ela tinha era o Burst no E, pois ela basicamente tinha cooldowns muito baixos e sem mobilidade, praticamente, além do Q com 1 segundo de CD, nada normal pra um assassino. Em resumo, ela não fazia o papel de assassina. O que o tópico ta pedindo é pra que o Wukong e Diana sejam mais lutadores e a Quinn... Acho que ela não tem problema em si, ela tá numa posição tipo do graves, pode fazer build de ADC como de Assassino.
Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Interessante o seu post, mas para entender oque é um "Burst Saúdavel" é preciso entender oque foi dito a MUITO TEMPO ATRAS, lá nas atualizações da Season 3, que diziam que Diana era para ser um campeão com "efeito bola de neve", se alavancasse no jogo, ninguém mais a tiraria e por tanto criaram um early game totalmente punivel para a campeã.

 

Mesma coisa com Wukong e Quinn, ambos tem o "efeito bola de neve", e que se alavanca no jogo, simplesmente ganha, porque é muito forte, mas não é impossivel.

Todos os campeões citados tem a mesma counter play, que é a punição em caso de agressividade extrema, a maioria das  vezes não é nem problema do cara que morreu 1 vez para esses champs, mas sim porque não recebeu ajuda, ou porque não sabe jogar contra, oque é comum no nosso servidor, que a grande maioria tende a ser "Mono champion", ou seja, masterizam um campeão só e sobem de elo com ele.

Não jogo a culpa em players, mas sim nas pessoas que não entendem que é só jogar em time que você se sobrepõe sobre um Wukong super forte no jogo.

Sobre o Burst 100-0, sempre existiu no jogo, e é causado pelo oque foi dito acima, por um campeão ter alavancado no jogo, mas lembre-se, não é impossivel matar o cara, é só jogar em time, coisa que muitos players não entendem!

 

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Eu acho a Quinn muito frustrante porque ela chega muito rápido, e depois que te acerta, se estiver forte, você simplesmente morre ou ganha mais alguns segundos com o Flash.
O Wukong é bem chato, porque além de tudo tem um controle de grupo bem forte na ult, acho que ele se expõe bem pouco, pois tem um escape muito bom além de tudo.
A Diana é bem forte, mas é 8 ou 80, até level 6 ela não faz muita coisa e se ela não conseguir matar, ela vai fatalmente morrer logo depois de ir pra cima, o que não acontece com Talon, Zed, que são exemplos de assassinos bem chato de lidar, pois são bem fortes, tem escape e ainda não se expõem muito e o Zed ainda tem a vantagem de não ter limitação de mana.
Então assim, eu entendo como compensação, e acho os assassinos de alta mobilidade e recargas baixas ( alô Katarina) são mais sem graça de jogar contra do que os outros, que conseguimos ver onde está a fraqueza e tentar explorar.
Dragão

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

A Quinn é forte sim, mas acredito que ela esteja balanceada. O seu dano ao contrário dos outros assassinos está no HIT e não nas skills. Para ela ser efetiva precisa ter adquirido uma vantagem, se não tiver essa vantagem ela será facilmente deletada. Quinn dificilmente bate de frente com alguém que esteja com o mesmo número de itens que ela, mesmo se for uma carry, ainda mais se tiver uma Death Dance.

Agora, a Diana é muito desbalanceada, ela te bursta em menos de um segundo!!


Dragão

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Pow mano, eu nao acho q eles sejam opressores (sou main adc), para mim a unica coisa forte na quinn é o speed dela pq isso faz com q ela esteja no mapa todo o jogo todo, se nao tiver ninguem proximo de vc e vc estiver mais fraco ela vai te pegar e matar, eu acho q ela poderia ter menos speed, talvez se a ult nao combasse com mobilite, sei la, ou o E dela nao deveria acompanhar o alvo, tipo o E do wukonge ou do alistar q se vc flashar ele nao pega, fora isso nao vejo ela como tao ops assim e eu tbm nao vejo problema nesse "conflito de indentidade", nao acho q um personagem ter diversas builds e estilos de jogo seja algo ruim, pelo contrario, eu acho q seja algo muito bom !
o grande problema do low elo é q ele sao ruins, simples assim, vc disse q a diana reina no low elo e é claro, o wukong e diana sao campeoes focados em acerto de combo, um player minimamente experiente sabe q se vc andar pra esquerda é muito dificil adiana acertar o combo e o Q dela é ainda lento, da pra flashar ou dar um dash facilmente, esse mesmo players tbm sabe q o dash da nidale e da vayne q sao dashs curtos saem do E+R do wukong, mas no low elo eles nunca vao saber isso, por isso sao low elos, quando eles aprenderem a lidar com isso eles vao subir de liga.
no low elo tem 3 tipos de champs q sempre vao ser op, os focados na ult tipo malphite, amumu, wukong, etc, os tankers, e os baseados em AA tipo vayne, yasuo, master yi, shyvana, jax, twitch, etc, entao usar isso como base pra falar do wukong e da diana é bobeira, low elo nao sabe oq esta fazendo, por tanto, champs mais faceis sempre vao se sobre sair aos de mais, entende ?
a questao é q para o wukong entrar numa fight ele tera q usar o W, ou seja, ficara sem escape, por tanto ele morre logo em seguida, e se ele nao usar o W é facil sair da ult dele, mas o X da questao é q 99% dos players nao sabem reconhecer quando esta com uma comp q perde a tf, é muito facil vc ver uma comp de wukong jg + kennen top e o time inimigo ainda sim tentar fightar sendo q o unico jeito de ganhar é no pick off, se o outro time monta uma comp de tf e vc nao, vc temm q evitar lutas em grupo e em local fechado, simples assim, mas quem evita isso ?
quantas vezes vc ja viu alguem falando na seleçao de champs "pow, noss comp ta op, vou pickar isso pra combar com a sua ult" mas quantas vezes viu alguem pensando "la tem uma comp de tf forte, vamos pegar uma protect, ou desengage, ou pick off" ?

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades


@Boobabyy  escreveu:

Pow mano, eu nao acho q eles sejam opressores (sou main adc), para mim a unica coisa forte na quinn é o speed dela pq isso faz com q ela esteja no mapa todo o jogo todo, se nao tiver ninguem proximo de vc e vc estiver mais fraco ela vai te pegar e matar, eu acho q ela poderia ter menos speed, talvez se a ult nao combasse com mobilite, sei la, ou o E dela nao deveria acompanhar o alvo, tipo o E do wukonge ou do alistar q se vc flashar ele nao pega, fora isso nao vejo ela como tao ops assim e eu tbm nao vejo problema nesse "conflito de indentidade", nao acho q um personagem ter diversas builds e estilos de jogo seja algo ruim, pelo contrario, eu acho q seja algo muito bom !
o grande problema do low elo é q ele sao ruins, simples assim, vc disse q a diana reina no low elo e é claro, o wukong e diana sao campeoes focados em acerto de combo, um player minimamente experiente sabe q se vc andar pra esquerda é muito dificil adiana acertar o combo e o Q dela é ainda lento, da pra flashar ou dar um dash facilmente, esse mesmo players tbm sabe q o dash da nidale e da vayne q sao dashs curtos saem do E+R do wukong, mas no low elo eles nunca vao saber isso, por isso sao low elos, quando eles aprenderem a lidar com isso eles vao subir de liga.
no low elo tem 3 tipos de champs q sempre vao ser op, os focados na ult tipo malphite, amumu, wukong, etc, os tankers, e os baseados em AA tipo vayne, yasuo, master yi, shyvana, jax, twitch, etc, entao usar isso como base pra falar do wukong e da diana é bobeira, low elo nao sabe oq esta fazendo, por tanto, champs mais faceis sempre vao se sobre sair aos de mais, entende ?
a questao é q para o wukong entrar numa fight ele tera q usar o W, ou seja, ficara sem escape, por tanto ele morre logo em seguida, e se ele nao usar o W é facil sair da ult dele, mas o X da questao é q 99% dos players nao sabem reconhecer quando esta com uma comp q perde a tf, é muito facil vc ver uma comp de wukong jg + kennen top e o time inimigo ainda sim tentar fightar sendo q o unico jeito de ganhar é no pick off, se o outro time monta uma comp de tf e vc nao, vc temm q evitar lutas em grupo e em local fechado, simples assim, mas quem evita isso ?
quantas vezes vc ja viu alguem falando na seleçao de champs "pow, noss comp ta op, vou pickar isso pra combar com a sua ult" mas quantas vezes viu alguem pensando "la tem uma comp de tf forte, vamos pegar uma protect, ou desengage, ou pick off" ?


1 - Sobre a Quinn, ela não é realmente opressora no fim do jogo quando se usa uma composição de teamfight. Ela é quase inútil nas TFs, então ela tenta fazer pickoff (identidade assassina). Como foi dito anteriormente, para a Quinn ser útil em TFs, ela precisa da build de crítico. Porém na laning phase, todos temos que concordar que ela É opressora. Um campeão no top com o mínimo de range extra possui uma vantagem enorme. Enfim, o ponto é a dualidade de estilos de jogo e frustração, não balanceamento. Ela tem um burst quase point-and-click (QUASE, já que a marca do Q contribui para o burst).

 

2 - Seu comentário tem algumas controvérsias sobre o Wukong: primeiro, ele não precisa necessariamente usar o W para iniciar uma TF. Com a passiva de tirar visão da Duskblade, o Wukong consegue muito bem controlar a visão inimiga e iniciar em alvos mal-posicionados. O Manto Nimbus também ajuda a iniciação em TFs, já que o Wukong poderá alcançar mais facilmente a backline. Campeões suportes de proteção, como Nami e Janna, são facilmente deletados pelo combo de um Wukong que builda assassino. Fora que nem todo mundo consegue jogar com campeões com mobilidade (eu, por exemplo, jogo no máximo com o Galio e com a LeBlanc, que também tem um burst imenso, mas é devidamente usada como uma assassina). O fato é que, não importa o dano bruto do Wukong, mas sim o tempo de reação. E com o estado atual do jogo (Duskblade tirando visão e dando dano bruto explosivo, Manto Nimbus acelerando o Wukong ultado, Chuva de Canivetes complementando o burst da Duskblade+E+Q+R), um alvo squishy raramente terá tempo de reação o suficiente para se esquivar ou fugir de um Wukong.

 

3 - Sobre a diversidade de builds, eu nunca disse que era ruim. O problema é quando uma build (letalidade) ofusca demais outra build de um campeão (Quinn Crítico, Wukong Bruiser). Isso gera problemas ao nerfar a sinergia do kit com a build. Um exemplo aqui é o Varus letalidade. Eu adorava MESMO jogar com essa build, mas o Q foi nerfado e a passiva buffada, então o Varus on-hit ficou muito dominante na tentativa de haver um Varus Crítico. Sendo assim, o Varus letalidade e o Varus crítico ficaram inviáveis enquanto o Varus on-hit estava dominante. Durante o meta de Varus letalidade, vale lembrar que ele também era considerado um mago de artilharia em vez de atirador. Na verdade, fico até feliz que a riot tenha dado um jeito de retornar o Varus às suas origens, já que a imersão no jogo fica melhor dessa maneira. Outros exemplos que posso citar aqui é a Evelynn Bruiser (na época que eu fazia Guerreiro, Manopla e Rei Destruído + tank), Rek'Sai tank (antes do mini-rework da Rek forçá-la a buildar AD) e o Kog'Maw AP (que ainda pode ser usado). Em outras palavras, quanto um kit se aproxima de um estilo de jogo abusivo, como o antigo Ekko tank, ele merece ser revisado para garantir a imersão e diminuir a frustração de quem joga contra.

Arauto

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Ai que entra a fase de banimentos amigo.

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades


@Bills  escreveu:
O problema esta nos itens, não nos campeões

sim, até porque antigamente Wukong era buildado como lutador pra splitar e dar utilidade na tf com a ult, mas devido a letalidade agora buildam full dano pra burstar com as skills dele, e Diana antes dessa reorganização de classes era tratada como assassina.

 

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Não entendi o que você quis dizer no final, você por acaso afirmou que Wukong, Diana e Quinn possuem maior burst que Katarina e Kassadin?
Eu falo somente a verdade.
Arauto

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Então, no caso da Diana, ela não é "Diver", ela é um lutador de investida, e faz muito sentido confundir, porém quando se fala de Diver, normalmente pensam no antigo Aatrox, um Zac, ou algo que se pareça com a Ultimate do Sion, a Diana pode ser comparada com um meio termo entre Elise e Vi, que fazem parte da mesma classe. Ela cria boas oportunidades quando em lutas menores, 1v1, 2v2, 2v1, e em team fights ela realmente só pode fazer o mesmo que um assassino sem um escape, entra mata e morre.

Para a Quinn, realmente o que a Riot fez no remake de classe tirou ela um pouco do que é um atirador, talvez ela seja de uma classe meio única para esse jogo, que seria "Patrol", um patrulheiro, isso se aplica ao ativo do W e seu passivo do R, o restante do kit dela lembra muito um atirador clássico, uma marca, um mini CC pra criar duelos 1v1(é quase um provocar), e um projétil que cria desvantagem de batalha para o desafiado.

E o que é mais estranho Wukong, ele devia ser bruiser playmaker... virou um assassino... ta na hora da Riot tomar medidas... como deixaram isso passar e permanecer por mais de um ano?

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades


@Erzsébet Báthory  escreveu:
Não entendi o que você quis dizer no final, você por acaso afirmou que Wukong, Diana e Quinn possuem maior burst que Katarina e Kassadin?

maior não, mais rápido

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades


@Kansai  escreveu:

Então, no caso da Diana, ela não é "Diver", ela é um lutador de investida, e faz muito sentido confundir, porém quando se fala de Diver, normalmente pensam no antigo Aatrox, um Zac, ou algo que se pareça com a Ultimate do Sion, a Diana pode ser comparada com um meio termo entre Elise e Vi, que fazem parte da mesma classe. Ela cria boas oportunidades quando em lutas menores, 1v1, 2v2, 2v1, e em team fights ela realmente só pode fazer o mesmo que um assassino sem um escape, entra mata e morre.

Para a Quinn, realmente o que a Riot fez no remake de classe tirou ela um pouco do que é um atirador, talvez ela seja de uma classe meio única para esse jogo, que seria "Patrol", um patrulheiro, isso se aplica ao ativo do W e seu passivo do R, o restante do kit dela lembra muito um atirador clássico, uma marca, um mini CC pra criar duelos 1v1(é quase um provocar), e um projétil que cria desvantagem de batalha para o desafiado.

E o que é mais estranho Wukong, ele devia ser bruiser playmaker... virou um assassino... ta na hora da Riot tomar medidas... como deixaram isso passar e permanecer por mais de um ano?


Lutadores de Investida e Divers são exatamente a mesma coisa, olha:

->Post em PT-BR

->Post em inglês

 

Mas no geral, eu concordo com o seu ponto de vista quanto à Quinn e ao Wukong. A Diana tem um problema maior quando olhamos no kit dela. Eu simplesmente não consigo achar uma palavra pra descrever o que ela faz.

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades

Para mim, a fórmula de um assassino é: Chegar, matar e sair. Quando a parte de sair não existe, o campeão precisa ter uma utilidade a mais.( Como é o caso da Diana que tem controle de grupo e é all in).
Na minha opinião, a classe assassino deveria ser a mais difícil de jogar. Essa deveria ser a classe dos jogadores espertos que gostam de fazer assassinatos estratégicos. Nenhum dos campeões nessa classe( além da Evelynn na minha opinião) se parecem assassinos, eles não tem esse feeling de estratégia que eu mencionei antes. E também com esse meta cheio de tanques é difícil joga de assassino.
Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades


@Harumyn  escreveu:
Para mim, a fórmula de um assassino é: Chegar, matar e sair. Quando a parte de sair não existe, o campeão precisa ter uma utilidade a mais.( Como é o caso da Diana que tem controle de grupo e é all in).
Na minha opinião, a classe assassino deveria ser a mais difícil de jogar. Essa deveria ser a classe dos jogadores espertos que gostam de fazer assassinatos estratégicos. Nenhum dos campeões nessa classe( além da Evelynn na minha opinião) se parecem assassinos, eles não tem esse feeling de estratégia que eu mencionei antes. E também com esse meta cheio de tanques é difícil joga de assassino.

e mesmo a Diana não sendo uma assassina no seu conceito, você acha justo o dano e o tempo de reação para quem joga contra ela?

Aronguejo

Re: Wukong, Diana e Quinn: conflito de identidades


@EU COMO MAGIA  escreveu:

@Harumyn  escreveu:
Para mim, a fórmula de um assassino é: Chegar, matar e sair. Quando a parte de sair não existe, o campeão precisa ter uma utilidade a mais.( Como é o caso da Diana que tem controle de grupo e é all in).
Na minha opinião, a classe assassino deveria ser a mais difícil de jogar. Essa deveria ser a classe dos jogadores espertos que gostam de fazer assassinatos estratégicos. Nenhum dos campeões nessa classe( além da Evelynn na minha opinião) se parecem assassinos, eles não tem esse feeling de estratégia que eu mencionei antes. E também com esse meta cheio de tanques é difícil joga de assassino.

e mesmo a Diana não sendo uma assassina no seu conceito, você acha justo o dano e o tempo de reação para quem joga contra ela?


Eu concordo que ela da um dano bem absurdo, joguei com ela recentemente e fiquei impressionado. O que eu quis dizer é que quando um campeão é full all in( não ter como escapar depois de ir para cima), ele precisa ter uma utilidade a mais como controlhe de grupo etc.