cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Mudanças no patch TODA SEMANA? TA MUITO CHATO!

Aronguejo

Mudanças no patch TODA SEMANA? TA MUITO CHATO!

O foco do vídeo não é de como está o LoL e sim sobre as mudanças SEMANAIS de varias coisas, isso está se tornando muito chato! 

Lembrando que essa minha opinião e tenho total direito como consumidor, palavrões usados no vídeo foram apenas para ilustrar melhor o que eu quero dizer. 
Obrigado

2 RESPOSTAS
Lenda

Re: Mudanças no patch TODA SEMANA? TA MUITO CHATO!

Pra min as mudanças são o que mantém o jogo vivo, porém acho q exageram demais. E os patchs são sempre de 2 em 2 semanas, eu aumentaria um pouco o prazo para 3, ou um mês.

Re: Mudanças no patch TODA SEMANA? TA MUITO CHATO!

Não tem como analisar a situação de forma superficial e rápida, então quem tiver paciência pra ler e debater, vamos lá....

O novo sistema de runas, em seu início, estava deixando as partidas muito demoradas, porque deixou os lutadores fracos, tirou a agressividade do início das partidas com geral usando cronômetro e sendo impossível realizar dives early game. Quem não se lembra dos jogos do competitivo com mais de 60 minutos, passando até da marca dos 70?

É totalmente lógico que se você retira agressividade do early, deixa lutadores fracos, vai sobrar o quê? Dar outscale no inimigo... Qual melhor jeito de dar outscale? Hypercarries e tanks... Então a galera montava essas comps, ia se segurando pro ultra late game e quem draftava melhor pra dar outscale geralmente ganhava, mas havia espaço pra viradas.

Aí veio a insatisfação.... MDS RITO, NÃO QUERO GASTAR 1 HORA NUM JOGO E AINDA PERDER.... MDS RITO, NÃO QUERO SER CARREGADO POR HYPERCARRY...

E então continuamente foi sendo descontruída a função primária dos hypercarry devido a tanto chororó. Nerfaram cronômetro, nerfaram sustain na lane, mudaram minions, mudaram durabilidade das torres, mudaram arauto, melhoraram a situação dos lutadores (eles realmente estavam fracos e precisavam voltar pro jogo), tudo isso foi sendo mudado patch após patch para gradativamente diminuir o tempo de jogo.

É insano pensar que no fim do ano passado eu reclamava de partidas que terminavam aos 30 min no gold (achava rápido demais) e agora na minha smurf no mesmo gold é sempre "stompe ou seja stompado", 30 min no gold virou ultra late game, tendo várias partidas definidas na casa dos 20 minutos e algumas até com menos.

Posso dizer que me beneficiei muito do meta anterior de hypercarries, só subi de liga por causa desse meta, mas atualmente não jogo mais na main, porque não tem espaço na botlane pros champs que mais gosto de jogar (Vayne, Tristana e Twitch). Talvez Vayne ainda dê pra fazer algo uma partida ou outra, mas não é mais algo que esteja nas suas mãos, tem que ficar torcendo pra todo seu time fazer um early decente, não te bulinarem bot e aí sim você ganha de Vayne adc e não pode buildar crítico. Tristana e Twitch adc só se você estiver com muita vontade de dropar de elo. Eu simplesmente aposentei minha main e nem na smurf tenho mais vontade de jogar.

Não é choro, porque antigamente se Vayne estava inviável eu corria pra Tristana e Twitch, se Tristana estava ruim eu corria pra Vayne de volta. Agora eu simplesmente não posso buildar crítico mais, porque o jogo simplesmente não dura o tempo necessário pra começar a causar dano com adc de crítico, é frustrante ver que o estilo de jogo que você mais gosta não tem mais nenhum espaço no jogo.

Outras classes também passam e passaram por problemas por muito tempo, eu mesmo já fui main Talon antes da atualização dos assassinos. Quando veio o meta de Sups de peel com turíbulo e Hipercarries, lembro dos assassinos terem quase desaparecido do jogo, era muito raro encaixá-los bem em certas comps, mas ainda assim eram jogáveis, não era quase convicção de derrota por ter assassino no time igual tem sido agora quando se picka hypercarry de crítico. E mesmo que alguns champs tenham ficado inviáveis, não houve a extinção de uma classe igual está sendo feito agora.

Não adianta a comunidade ficar discutindo entre si na irrelevante infantilidade: "ADC sempre foi forte, tinha que nerfar, deixa de choro e se adapte", "Vou parar de jogar, jogo **cogumelo do teemo**, acabou com minha classe". Nos 2 casos é infantil, pois no primeiro só se pensa no próprio umbigo e se esquecem que cerca de 20% dos players é composta de main ADC's que gastaram tempo e dinheiro em algo que morreu e está inviável. E no segundo caso, bom, se o jogo não me agrada mais, não tem porque eu espernear pra que volte ao que era antes, é só parar de jogar igual estou fazendo.

Agora, o ponto mais importante que vejo poucos comentar... Essa política da Riot de mudar o jogo a cada patch em busca de "diversidade" de metas. É uma faca de 2 gumes... Isso afasta jogadores veteranos que aprenderam a gostar do jogo de uma maneira (assim como eu tem muitos que preferem ficar no eterno meta de 1 top tank ou fighter pra splitar, 1 jg playmaker bruiser ou tank, 1 mid control mage, 1 hypercarry e 1 sup de peel ou playmaker tipo thresh), muita gente acha tedioso o mesmo meta, mas com mudança constante de meta, volta-se ao lol antigo em que não havia especialização.

Aí vem onde esse textão todo meu queria chegar. O lol dos primórdios você caía em roles aleatórias, tinha que saber jogar em todas e chance de jogar várias partidas na mesma role era pequena, pois dependia de alguém ceder a função para você pois era por sua posição nos picks. Aí a Riot decidiu que era melhor todos se especializarem e lançou a possibilidade de se escolher uma role e se jogar apenas nela, veio o problema de demora nas filas e lançaram o auto fill, até aí pra mim estava ótimo, eu podia me dedicar exclusivamente à classe que eu mais gostava de jogar sendo filler poucas vezes e não mais ter o desprazer de jogar ranked sem saber onde eu caíria (eu odiava top, jg, mid, sup eu não achava nem divertido nem chato, era um terror jogar ranked, porque quase sempre eu caía onde não gostava de jogar). Novamente, tem quem prefira jogar todas as roles, tem quem prefira se especializar, não estou criticando ninguém.

O que tenho sentido é que a Riot parece estar querendo desconstruir essa especialização que tanto induziram nas últimas seasons. Quando se acaba com late game e se acelera o jogo no ritmo super rápido que está atualmente, acaba-se a necessidade
de tf's bem coordenadas ou de bons split pushers:

- Pra quê um sup skillado em salvar seu adc ou dar aquele engage decisivo se o jogo nem vai chegar no ponto das tf's ?
- Pra quê um adc bom em controlar wave pra farmar safe, crescer bem, dar outscale e kitar bem nas tf's? Não vai chegar nas tf's.
- Pra quê um mid de roaming se a bot lane não decide mais o jogo e o fighter no top se vira com seu jungle? Pra quê um mid de controle se novamente o jogo não vai chegar nas tf's?
- Pra quê um jg playmaker, iniciador bruiser ou tank? Em um meta de power farm um jg assim é totalmente inútil, não tem tf pra ele brilhar.
- Pra quê um top tank escravo? Não vai ter tf.

Aí você deve estar doido pra falar. Tá vendo? Antes o competitivo era só baseado em TF. Mas também tinham os split pushers que podiam quebrar a estratégia de TF.

O jogo se resumia em comp de TF e Split Push no competitivo, mas mesmo assim na SoloQ ainda eram viáveis comps de poke, de desengage, de hard engage, de pick-off, etc. Não era porque não eram muito utilizadas que não eram viáveis, na SoloQ quase tudo era viável, só no competitivo que ficava engessado em TF e Split Push.

Aí vem talvez a maior contradição da Riot, ela quer consolidar o jogo como referência no E-Sport, mas como isso é possível trocando de meta igual troca de cueca? É uma analogia simples.

- Futebol é um dos esportes mais famosos do mundo. Provavelmente o mais famoso mesmo. Mudou a essência do jogo? Não, ainda é chutar a bola pro gol. Tem times defensivos, ofensivos, mas a estrutura estratégica do jogo não mudou muito. Resultado = SUCESSO.

- Basquete, não entendo muito, mas mudou algo estrutural? Que eu saiba não. Resultado = SUCESSO.

Vá pensando em N esportes tradicionais e veja que eles tem seu público fiel e definido, lucram horrores com esse público fiel e estão se lascando pra quem torce o nariz e não gosta. O futebol tradicional é extremamente impopular em alguns países e algumas culturas. Mudaram o futebol pra fazer a galera dos EUA gostar? Não porque seria ilógico.

E sabe porque é ilógico? Porque isso vira p.r.o.s t i t u i ç ã o ideológica. Muito simples entender isso. Suponhamos que você gosta de Coca-Cola e sua namorada goste de Sprite, para agradá-la mesmo achando horrível e quase vomitando quando bebe Sprite, você passa a beber só Sprite pra agradá-la, 2 meses depois ela fica neurada em fitness, te dá um fora e vai ficar com o bombado da academia. Valeu a pena largar sua Coca-Cola?

É o que a Riot está fazendo, criou uma ideologia de especialização em classes e agora para não perder jogadores que torcem o nariz pra isso, acelera o jogo a um ponto que não faz mais sentido jogar com algumas classes e é simplesmente um jogo de pressão ou power farm. Quem botar mais pressão early vai snowballar e ficar imparável, fechando o jogo rápido. Ou vai montar um power farm acelerado (Master Yi JG e Taric Mid de escravo do master ou ainda Karthus farmando JG e Mid com Nunu de escravo), deixar 1 champ muito forte e levar o game rápido também. Pessoal tá achando que isso é aumentar a diversidade, mas simplesmente ainda está tudo tão caótico que o competitivo ainda não leu as comps mais fortes e seus counters, quando o competitivo entender esse caos (e já estão entendendo), o resultado será os mesmos poucos champs e poucas comps de antigamente, só que num meta de jogo rápido sem muitas possibilidades de viradas.

Aí quando a galera enjoar desse meta de jogos rápidos a Riot vai recorrer à p.r.o.s t i t u i ç ã o ideológica novamente e ceder ao choro dos que querem de volta o ultra late game?

Qual o objetivo disso? Manter número elevado de player, tentando manter a maioria sempre satisfeita. OK, tem uma certa lógica rasa nisso. Mas pra um jogo grátis que se mantém com patrocínios (advindos de um público grande das partidas competitivas) e vendas de skins, a longo prazo isso pode ser um tiro no pé, simplesmente porque não haverá mais público fiel, só os casuais que voltam e param de jogar conforme o meta lhe agrada (e muitos casuais nem voltam, porque eu mesmo sou do tipo que se paro, não volto a jogar mesmo que o jogo reverta aos padrões que eu gostava). E casual não compra skin.... Casual não assiste campeonato torcendo pra time, se preocupando em comprar ingressos pra ver seus ídolos de perto, casual nem tem ídolo...

Como fica a identidade dos ídolos do LoL ? No futebol tem aquela muralha no gol que faz defesas improváveis, tem aquele zagueirão que desarma com classe, aquele volante que ajuda a defesa e arma ótimos contra-ataques, aquele meia com habilidades fora da realidade que acerta passes impossíveis e dá assistências perfeitas e aquele matador sempre pronto pra mandar a bola pro gol e fazer a torcida explodir.

Pois é, com esses jogos rápidos e sem ADC tiraram a figura do matador que manda a bola pro gol depois de 60 minutos de muita tensão e faz a torcida explodir com um pentakill e fazer um push final. Um jogo de competitivo durando 30 minutos você nem sequer consegue considerar o jogo épico, vira um jogo de snowball que aos 15 minutos você sabe quem vai ganhar e uma matança generalizada, sem espaço para viradas épicas em que um time apanha o jogo todo pra virar no late.

Ou vocês acham que é possível no atual meta um azir escalar igual o do Rakin pra dar Triple, depois Quadra, depois Penta num jogo extremamente emocionante.

Tem esportes que tem ação o tempo todo, outros não, vai do gosto de cada pessoa, mas nenhum deles muda sua estrutura conforme a opinião das pessoas mudam. O lol já estava praticamente consolidado para o público que gostava de se especializar em uma classe e seus jogos competitivos já tinham uma estrutura e não eram previsíveis, pois tinham margem para viradas, a Riot foi matando isso aos poucos até chegar no ponto atual de jogue com fighter em todo canto do mapa, ou aps burstadores tipo vlad no bot ou então faça um power farm acelerado e quem botar pressão primeiro no mapa ganhou.

Riot, por favor, se algum funcionário teve paciência de ler isso tudo, aprendam com o futebol, o esporte mais rentável e de sucesso que existe a tanto tempo por simples motivos:
- Público fiel. Porquê? Porque você pode ficar 10 anos sem assistir uma partida, depois de 10 anos você ainda vai conseguir entender o que está acontecendo. Será que é possível manter um público fiel com um jogo que em 1 mês tem atiradores sendo o centro das comps, precisando ser protegidos e depois de 1 mísero mês não existe mais atirador e você vai olhar um draft e se pergunta: "Porquê diabos tem um Taric mid e uma Lulu adc?". Vocês são uma empresa muito grande pra não seguir a lógica básica de mercado que clientes fiéis são mais rentáveis que clientes casuais. Posso garantir sem ter acesso a nenhuma análise financeira de vocês que muitos players fiéis investiram mais no jogo individualmente do que 100 casuais. E a febre de lol no E-sport só foi possível porque player fiel assiste campeonato, e causal? Será que assiste? Dever ver 1 ou 2 jogos e depois enjoa pra nunca mais assistir novamente.
- Imprevisibilidade do resultado durante boa parte do jogo. Porquê? Pegando 2 times de mesmo nível, seria interessante ver constantemente jogos entre Corinthians x Palmeiras, Flamengo x Fluminense (Vasco, Botafogo), Grêmio x Internacional, Atlético-MG x Cruzeiro sendo definidos com 20 minutos de jogo? Mesmo que com 20 minutos de jogo algum time esteja perdendo de 2 x 0 ainda é possível acontecer viradas. Esporte é algo passional, não existe emoção em algo que o resultado não possa ser revertido até o último minuto.

Depois de toda essa análise, sim, eu sei que alguns vão discordar totalmente, outros parcialmente, outros nem vão ler, a impressão final que fica é muito simples e só não enxerga quem não quer. A Riot é muito grande, tem analistas muito competentes, isso que está acontecendo é simplesmente algo que só quem está lá dentro enxerga:
- O lol não alcançou o patamar necessário para se tornar um E-sport de fidelidade como esportes tradicionais. Se a Riot mantivesse o jogo estático perderia muitos players casuais e mesmo que os players fiéis mantivessem bom lucro, a receita caíria demais com perdas de patrocínios e menor relevância no E-sport. Mantendo o jogo estático e com queda constante dos casuais, o mercado analisa apenas números frios: menos jogadores > jogo está em declínio > menos investimentos > menos grana pra investir em publicidade > menos renovação de jogadores e vai nesse ciclo até o jogo estabilizar apenas nos jogadores fiéis. Então o que a Riot está fazendo é simplesmente maquiar o declínio do jogo trocando jogadores fiéis por jogadores casuais, essa maquiagem deve durar 1 ou 2 anos no máximo, pois player base cai mais devagar, visto que os jogadores fiéis que vão abandonando são repostos por jogadores casuais e o mercado não se importa, pois só quer mais players para ter um alcance maior de exposição a propaganda de NVIDIA, INTEL, etc. patrocinadores em geral, desse modo a Riot faz com que a receita não caía abruptamente. Mas em no máximo 2 anos, lol será um jogo de players casuais, sem veteranos e com menos gente se dedicando ao jogo profissionalmente (eu odiaria trabalhar em uma carreira que 1 mês é rentável, no outro já não sei e cada dia sou obrigado a executar tarefas diferentes sem nem ter ideia do que é mais eficiente).

Então galerinha, aos que estão aplaudindo essa "diversidade" (quem olha com atenção vê que isso não é diversidade, é apenas caos disfarçado de diversidade), não chorem quando o jogo daqui 2 anos for um mar de noobs casuais, a Riot só está seguindo essa estratégia de mercado porque depois que foi adquirida pela chinesa TENCENT, eles se lascaram pro projeto inicial dos fundadores de ter um jogo evoluindo constantemente com identidade própria (era um conceito duradouro, fidelizava os players e quem não gostasse que caía fora). Da TENCENT pra cá a lógica de mercado deles é muito simples, muda o máximo que puder do jogo, esquece a fidelização e mantenha a rotatividade de casuais, se isso vai acabar com o competitivo e com a sustentabilidade do jogo no auge não importa, só querem lucrar o máximo possível no menor período de tempo e quando lol for só uma sombra do que já foi com 99% da player base composta por jogadores que tem 1 mês de game e logo logo vão pular fora, pra TENCENT tanto faz, eles não lucram só com lol, como qualquer mega corporação viram a oportunidade de comprar algo em ascensão, lucrar com isso e depois que lucrou o máximo que podia no menor tempo possível? Bom, aí tanto faz, larga às traças com o mínimo necessário pra não dar prejuízo.

É muito simples, quem entende um pouquinho só de lógica de mercado vê que a Riot mudou completamente sua filosofia e não foi só porque players reclamam demais ou porque eles são bonzinhos e querem agradar todo mundo mudando tudo toda hora, eles simplesmente querem lucrar o máximo no menor tempo possível porque pra uma empresa do tamanho da TENCENT, não tem porque dispender tempo e energia em algo que é só um braço pequeno de suas operações, diferentemente da Riot dos fundadores, em que os caras realmente tinham uma ideologia de longo prazo e consolidação do jogo.

Agora, se vier falar que pelo fato dos fundadores ainda trabalharem na Riot, a mudança pra TENCENT não afetou a ideologia da empresa, bom, aí eu já digo que nem vou ler seus argumentos, porque aí seria de uma ingenuidade gigantesca.

Resumindo toda essa bagaceira que falei:

- Riot antiga: Queriam um jogo pra durar décadas, com evoluções gráficas, mas mantendo padrões (todo esporte precisa de padrão), com jogadores fiéis e sonhavam conseguir com essa fidelidade transformar lol num e-sport com audiência e rentabilidade de esportes tradicionais, ou seja, administração pró-ativa de longo prazo.

- Riot pós-TENCENT: Querem apenas lucrar o máximo possível no menor tempo possível, como se consegue isso? Seguindo o que a maioria opina às custas de identidade própria. Mas toda vez que se segue a ditadura da maioria (e isso tem sido feito num ritmo alucinante de 2 em 2 semanas) uma minoria fiel abandona o barco, até sobrar um barco cheio de buracos tentando ser salvo por pessoas que nem tem história com o barco, ou seja, administração reativa de curtíssimo prazo.

Não sou nem quero ser dono da verdade, mas tudo segue uma lógica... A do dinheiro...