cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Veigar, The True Master of Evil: História de 100 paginas que escrevi, quero compartilhar com

Veigar, The True Master of Evil: História de 100 paginas que escrevi, quero compartilhar com

Salve galera! Tudo bem com vocês? Eu sou o Saint Vyne, um escritor amador apaixonado pela história do LoL e decidi, em um belo dia de verão (Estava chovendo e a net tinha caido) escrever minha própria historia de Aventura e Comédia, tendo como protagonista o personagem com o melhor ratio de "Humor x Altura" do jogo, o Veigar!
Veigar, The True Master of Evil é o título, escrevi ele ano passado, mas só agora tomei coragem para postar aqui kkk, espero de coração que vocês gostem, e como disse antes, sou amador ainda, qualquer correção ou dica, estou mais do que disposto para ouvi-las e aprende-las! 
Sem mais delongas, com vocês, os primeiros capítulos do meu livrinho, espero que gostem <3

Capitulo 1 

 

Meu nome é Veigar, eu sou o Mestre do Mal de Bandópolis, o Único e original Lorde das Sombras e Senhor das Trevas, sim esse sou eu.

                Eu sou um ser maligno que causa tristeza e dor onde quer que eu passe, as pessoas que me veem se apavoram por sentir minha presença maléfica, sou absurdamente poderoso, nível “Te explodo com um R” de poderoso, um mago prodígio da arte das trevas e um ser de altura média totalmente normal para os padrões da sociedade.

                Agora que a Persona foi estabelecida, vamos a história.

                Era mais um dia normal em Bandópolis, eu estava em meu Castelo das Trevas, uma cabana no meio da floresta, ao norte da cidade,  era uma cabana pequena, pois eu não precisava de uma casa grande, já que eu sou... eu sou... eu sou HUMILDE, por isso não preciso de uma casarão, mas minha cabaninha é bem aterrorizante, ahh isso ela é, tanto que ninguém vem aqui, de medo.

                -Não deve ser medo, deve ser por que essa casa fica no meio da floresta, Veigo.

                Olhei para trás, para ver de onde vinha enorme blasfêmia, e claro, só podia ser Luzi, a fada irritante (ela pode ser tanto masculino quanto feminino, Fadas de Runeterra não possuem sexo , então Luzi disse que posso usar tanto ele quanto ela, tanto faz pra ele/ela).

                Ela era uma fada da floresta, uma floresta bem longe daqui a Luzi habitava lá tranquilamente até que um dia a floresta foi incendiada por alguém que invocou um urso em chamas, gostaria de conhecer esse ser capaz de fazer esse tipo de invocação, ele deve ser alguém superexperiente, sábio e velho também, invocações são difíceis de fazer sabe...

                O Luzi voou muito até encontrar uma floresta boa (Inclusive pelo portal que liga nossa terra a Runeterra) igual a que ele morava antes, como os Yordles são famosos por serem um com a natureza, nossas florestas são as mais bonitas, portanto ele decidiu achar um lar aqui, encontrei-o na chuva, com frio por estarmos já no inverno e aparentemente com muita fome, decidi abriga-lo, pois eu não morava com ninguém e estava me sentindo... sentindo... sentindo PIEDOSO desse ser miserável, então decidi ajudar, pois as habilidades das fadas de sentirem a presença de outros e conceder visão de inimigos eram bem uteis, eu conhecia fadas que conseguiam ser como uma extensão das habilidades magicas de seu companheiro, era uma habilidade impressionante que poucas sabiam fazer, mas a única que eu conhecia usava esse poder apenas para lançar purpurina junto com a sua dona.

                Ela morava comigo desde então, pois era benéfico para mim, e se eu não precisasse mais dela, iria descarta-la, como todo bom e velho Senhor da Maldade faria.

                -Luzi, já acordou falando besteiras não é mesmo? Que tal fazer algo de útil e me sugerir uma maldade para fazermos hoje!

                -Olha maldade não sei, mas poderíamos ir comprar frutinhas na feira, acabou as daqui de casa.

                -Criatura ridícula! Eu pedi para me dizer ações horrendas e você me diz para comprarmos miseras frutinhas? Está me desafiando?

                -Mas foi você que comeu todas as Bricos-Baques docinhas, Veigo, me deixou só as mais amargas.

                 -...

                -Tudo bem! Iremos comprar frutas na feira, mas só por que EU acho uma boa ideia... e estou com vontade de comer brico-braque, elas estão tão docinhas essa época do ano...

                Peguei meu dinheiro e meu fiel cajado, juntos nós fomos a feira que ficava perto do portão norte da cidade, e assim que cheguei já comecei a ouvir as pessoas falando sobre mim.

                -Olha, não é aquele Yordle Anão que se acha super maligno mas a única coisa que ele fez até hoje foi roubar um balão e até isso deu errado.  Olha lá, Santo Yordle, é aquele Yordle superior de extrema maldade que recentemente roubou um balão e explodiu ele no meio do ar deixando a cidade inteira apavorada! – Foi o que eu ouvi.

                Encontramos a barraquinha que vende as melhores BBs (Forma abreviada maligna) da feira. O feirante velhote que me atendeu, rosto conhecido.

                -Ah, olá mestre, (sim, como em Mestre das Trevas, e não pelo fato por eu ter um Mestrado em Magia pela academia Yordle, é mestre de mestre do MAL), o que irá querer hoje?

 -Bricos de sempre, quero as mais vermelhinhas! Quero não, EXIJO as mais vermelhinhas!

                -Ah sinto muito, mas essas, infelizmente não temos mais – O vendedor respondeu, mas havia uma grande tristeza em sua voz, eu sei reconhecer uma voz triste por que eu... por que eu... CAUSO TRISTEZA E DOR.

                -Mas o que? O que está acontecendo? Não estamos na temporada?

                -Ah então, é que meu filho, que era quem colhia as frutas no bosque, foi raptado pelo Nevir, o mestre do mal, que mora na montanha.

                Meu sangue ferveu ao ouvir a menção de outro mestre do mal.

                -O QUE? Quem?

                -Ah, você não soube mestre? Um Homem chamado Nevir, que se diz ser o mestre das trevas e do mal, está raptando yordles e aprisionando eles no seu castelo, para causar medo e tristeza na população, não sabemos o que ele está fazendo com os sequestrados, mas já são mais de 20 desaparecidos, e infelizmente – ele pausou, começando a chorar – meu filho foi um deles...

                Senti as chamas do meu interior queimarem mais fortes, alguém chegou e roubou meu título de Mestre do Mal? Que insolência insana! Eu não vou deixar essa passar, esse infrator irá pagar! Ele até me impediu de comer minhas Brico-Baques, maldito seja, maldito verme!

                -Você sabe me dizer onde esse Nevir mora?

                -Nas montanhas ao Sul, ele tem um castelo lá, por que?

                -Eu vou lá ter uma conversinha com ele, e tentar trazer seu nobre filho colhedor de volta, para que EU possa comer minhas frutas!

                -Serio? Obrigado mestre, será uma enorme bondade sua se trazer meu filho de volta.

                A menção da palavra bondade me deu arrepio, mas eu não sabia o que ela significava, deve ser algum sinônimo de maldade, isso, seria uma enorme maldade resgatar alguém só para meu próprio benefício, sim, concordo.

                -Vamos Luzi, temos um título para recuperar.

                -Tem uma galera para salvar também.

                -É, isso também.

 

 

 

 

 

 

 

                Capitulo 2

 

                Fomos voando com minha Águia gigante (Águia normal) para o sul da cidade, depois seguimos mais um pouco a frente, até saímos das clareiras próximas aos limites da cidade e enfim, chegando as montanhas, quando cheguei lá eu vi.

                Eu vi.

                Aquilo.

                Era um castelo, enorme, uma fortaleza construída com blocos cinza-escuro e com uma nuvem negra girando ao redor dela, uma magia simples de controle do vento, mas bem impressionante se você coloca ela para rodopiar em um castelo escuro em meio as montanhas, dava a impressão exata que ali morava um mestre das...

                Maldição.

                Deixei a águia confortável em uma arvore mais para trás e segui andando, e com a fada voando próximo ao meu ombro, até chegarmos cerca de 50 metros próximos da entrada, parei de andar.

                -Veigo? Por que parou?

                -Está muito quieto e vazio aqui, deveria ter guardas ou algum tipo de proteção, normalmente, um “Mestre das Trevas” não gosta que ninguém se aproxima das propriedades deles.

                -Então esse Mestre é o Kled?

                -Klebinho? Ah me faça um favor, Klebinho nunca teria um castelo, ele gosta de roça e provavelmente se voltasse para Bandópolis ele com certeza iria lá em casa contar as maldades que ele fez, quem ele matou e onde ele saiu no soco com alguém, ele é pura maldade, com aquele velho doido eu até dividiria o título, mas ele não liga pra isso, ele prefere ser chamado de Coronel Primordial de Legião de Infantaria Estrela Dupla de Frente e de Costas.

                -Você é amigo do Kled? Eu achei que todo mundo era inimigo dele.

                -E é sim, só que ele vem de vez em quando conversar comigo por que ele luta em todas as guerras e não tem ninguém vivo para saber dos feitos dele, então esse doido vem para relembrar os dias de gloria, de assassinato e de morte dele e também tomar um chazinho, eu gosto de quando o Kled vem, ele faz um pastel delicioso e conta umas historias loucas, mas não sei se são de verdade.

                -Por que não?

                -Sei lá, ele é um cara que não gosta que ninguém pise na propriedade dele, tanto que o doido tem uma cerca de caveira de gente que se atreveu a pisar lá e usa a cabeça de outros Noxianos pra avisar que lá ninguém entra, mas não faz sentido.

                -O que?

                -Ele diz que lutou em todas as campanhas Noxianas e Noxus está em guerra com todas as nações vizinhas, então se ele realmente lutou em todas, o Kled tinha que estar sempre viajando, não iria conseguir parar em casa, mas mesmo assim ele faz questão que ninguém entre lá, não faz sentido sabe, por que alguém que nunca para em casa é tão Redneck assim?

                -Sei lá, ele é doido.

                -Sim, mas ele é mal, por isso gosto dele, quem sabe um dia você não o conhece em uma das visitas dele?

                -Não, tô suave. – Disse a fada, aparentemente perturbada com a ideia de que um dia ela pode cruzar o caminho do Yordle Noxiano.

Terminada a conversa, ergui meu cajado e atirei Rajadas Espaciais de Nether Arcano (RENA) nas arvores que estavam mais próximas da pequena estrada que dava até o castelo, destruí também alguns pedaços de terra que estavam ligeiramente mais altos que o resto do caminho.

                Se tivesse alguém dormindo no castelo, provavelmente teria acordado, se tivesse alguém dormindo em alguma cabana nas montanhas a dois quilômetros de distância daqui, também teria acordado.

                -Hey! Por que você fez isso, do nada queimou árvore e destruiu o chão todo, olha o barulho que fez! Agora o tal do Nevir sabe que a gente está aqui.

                -Deixa eu te explicar, as arvores mais próximas das rotas provavelmente possuíam uma linha que detectaria se alguém passasse e acionaria armadilhas próximas, e os relevos na estrada provavelmente possuíam minas terrestres que explodiriam quando passássemos.

                -Uau, incrível Veigo! – Respondeu Luzi, aparentemente impressionado – como você sabia disso? Eu não esperava isso.

                -Simples, Eu sou um mestre das trevas, eu sempre estou à frente de meus patéticos inimigos.

                -Puxa vida, você é demais!

                Parece que ele não notou a placa de “Cuidado: Armadilhas nas arvores e no chão” perto da gente, ótimo.

                -E por que você não coloca essas perto da sua cabana?

                -Por que não preciso – Respondi seriamente – Eu sentiria se alguém se aproximasse e cuidaria dele pessoalmente.

                Na verdade, a resposta era “Orçamento”, Mas Luzi não precisava saber disso.

                Seguimos o caminho até a porta do castelo, uma enorme porta negra de um material que era exatamente, mas não completamente, totalmente diferente de algo magico, parecia madeira pintada. Mas ainda assim, parecia conseguir evitar que um exército passasse por ela.

                -E agora? Como vamos tentar entrar?

                -Fácil.

                Destruí a porta.

                Luzi parecia atordoado, ele talvez não esperasse que eu realmente fosse poderoso,  nunca tinha visto eu usar magias destrutivas, então achava que eu fosse apenas uma piada curta, daquelas que você dá uma leve risada, mas se fosse sua vez de contar uma piada numa outra roda de amigos, provavelmente não lembraria dessa.

                Mas não, eu sou poderoso, sou um Mestre, meu poder já fez muita gente me temer e eu ouvi dizer que em um evento chamado “Seleção de Campeões” sou constantemente excluído de participar da competição, algo que chamam de BAN, não sabia o que era, talvez algo como Brutalidade Acima do Normal, por eu ser o Mestre das Trevas e do Mal (De Verdade) e pegasse pesado demais na competição. Sim, as pessoas me temem, eu sou tão forte quanto o que os locais chamam de Barão.

Capitulos 3 e 4 semana que vem <3, qualquer Critica, Sugestão, Piada, Recomendação, Desabafo, Xingamento, Explicação, Dedução ou um "Hey, como você tá" podem mandar mensagem! Obrigado mesmo por ler até aqui <3