cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Lendas da Liga: Capítulo 2 - A Protetora

Lendas da Liga: Capítulo 2 - A Protetora

Repostando no Fórum novo após revisão.

Este é um universo alternativo baseado no jogo League of Legends. As origens dos personagens, assim como os lugares onde a história se passa podem ter referências mas são diferentes dos originais. O que foi preservado foram os nomes dos personagens, assim como suas estruturas faciais. Mesmo assim, idade, raça, status social, e nacionalidade tem uma alta chance de estar diferentes do que os fâs estão acostumados. Tenha em mente que o campeão que você gosta pode ser odiável neste universo se pretende embarcar nesta leitura e espero que se divirta e descubra um formato do League que você nunca viu.

 

Prévia do Capítulo Anterior
A rosa mortal é perseguida por Warwick que tenta recrutá-la para uma missão de salvamento e assim uma das alianças da luta contra a névoa se forma.

https://forum.br.leagueoflegends.com/t5/Cria%C3%A7%C3%B5es-de-F%C3%A3s/Lendas-da-Liga-Cap%C3%ADtulo-...

 

 

" Eu não defino como vingança ou satisfação, eu defino como necessidade dos fracos e confusos, eu defino como dignidade que nos foi tomada pela névoa.
Eu não faço o que faço pelo pedido do meu pai ou para provar nada a mim mesma. Faço isto simplesmente porque alguém precisa fazer, e mesmo que nada tivesse sido tirado de mim eu estaria resistindo da mesma forma."
A Protetora

 

Após termos aceitado as condições de Warwick continuamos nossa jornada e chegamos à desolada cidade de Overpilt. Precisávamos encontrar um contato da resistência antes de partirmos para nosso destino que permanecia um mistério. Warwick insistia que nossa travessia pela cidade seria perigosa e que se algo saísse errado era melhor que não soubessemos detalhes do movimento. E seria assim até que fossemos apresentados ao líder da resistência e treinados para termos nossas próprias missões. Lembro que a primeira vez que ví Overpilt de uma grade na tubulação aos arredores da cidade, pensei que uma guerra destruído tudo por ali, o que eu não sabia é que a guerra ainda estava acontecendo. Entre algumas luzes artificiais e fogueiras espalhadas entre os edifícios em ruínas havia movimentação mostrando que haviam pessoas ali. Aquela visão de destruição era proposital pois ocultava um organizado e funcional esquema liderado por aliados da névoa que mantinham controle sobre a cidade. Eu estava usando a jaqueta de um motoqueiro que Warwick havia conseguido mas não estava nada feliz com a nova vestimenta e não via a hora de tirá-la. A tubulação era uma entrada secreta que, segundo ele, daria em algum ponto dentro da cidade.
" - Warwick eu não estou acostumada com este tipo de roupa, e além do mais isso fede." Ele encostou os ouvidos na parede ao fim do caminho para ouvir se havia alguém do outro lado, convencido de que estava seguro ele tomou a forma de monstro e girou as travas de uma pesada porta de cofre, então atravessamos chegando a um laboratório que aparentava ter sido saqueado. A textura da parede escondia perfeitamente a passagem, ouvimos quando o dispositivo automático girou e travou, como não havia nenhum controle próximo deduzi que não havia como voltar.
" - Deve ser porque eu peguei estas roupas de um cadáver mas assim é melhor porque ajuda a disfarçar o seu cheiro." Lancei para ele meu olhar de descontentamento enquanto espalhava um pouco de esporos tentando diminuir um pouco do terrível cheiro. Tibbers observava o lugar se aproximando de uma escada onde podia ouvir barulhos de gritos vindos do andar de cima. Haviam tubos de ensaio caídos no chão, alguns ainda tampados com algum líquido não identificado se quebraram quando ele se aproximou. Era o suficiente para que uma Annie de um palmo de altura pulasse do meio da bagunça. Com um sinal de Warwick ficamos em total silêncio esperando não ter sido descobertos enquanto que a pequena e diabólica Annie dançava em volta de Tibbers totalmente alheia à gravidade da situação. Por fim o urso sussurrou. " - Nós vamos ficar bem?" Warwick começou a vasculhar uma escrivaninha e se aproximou com uma garrafinha achatada respondendo a pergunta. " - Claro que vamos garoto, é só seguirem minhas ordens. Agora coloque sua amiga aqui dentro e a guarde no bolso, ela pode ser útil se as coisas ficarem difíceis." E mesmo que eu duvidasse que aquilo funcionaria Annie parecia ter entendido a mensagem e entrou na garrafa na primeira tentativa.


Ficamos alí algum tempo esperando que o barulho na parte de cima parasse, enquanto isto Warwick começou a sondar o que o relatório de missão dele não dizia sobre mim. " - Diga Evelynn, então você nunca saiu da Ilha das Luzes?" Achei estranho não a pergunta mas o tom duvidoso na voz dele. " - Desde que tenho consciência do que sou eu nunca saí de lá. Por que esta curiosidade agora?" Ele se transformou em lobo e se deitou olhando para mim. " - É a sua composição geral, parece muito dispersa. Você é uma flor mas tem traços muito humanos e até mesmo esporos que de alguma maneira não parece combinar corretamente. Além do que a pessoa que te indicou para o recrutamento parecia muito interessada em você e no que você podia fazer. Algum conhecido talvez?" Me senti inquieta afinal alguém de fora da Ilha parecia me conhecer, mas como? Uma vez que meu contato com humanos resultava em morte eu só podia pensar que quem quer que fosse sabia algo sobre minha origem ou talvez eu estivesse sendo muito esperançosa e fosse apenas um estranho fâ que seguiu os boatos sobre a minha existência. Mas ainda havia uma terceira possibilidade que me deixava muito mais interessada.
" - Um dos meus amigos disse que algo semelhante a cipós com espinhos o atacou alguns anos antes de me conhecer, então talvez eu tenha parentes, quem sabe a mãe que me abandonou? Me diga o nome dessa pessoa, se eu conhecer então resolvemos este mistério." Vendo meu interesse ele se levantou e foi checar a escada me deixando no suspense mas assim que voltou continuou a conversa. " - Não posso te dizer ainda, mas se tudo der certo você vai conhecer esta pessoa. Sobre o seu amigo, qual o nome dele?" Chateada com aquela resposta mas já esperando algo assim entendi que ele não iria mesmo nos dizer muito do que sabia até que chegássemos ao nosso misterioso destino. E eu estava preocupada se conseguiríamos, pois os gritos de dor que vinham pela escada eram de mais de uma pessoa. " - Bom quando eu conhecer esta pessoa eu falo sobre meu amigo. Assim não serei a única a perder informações se esta missão der errado. Se vamos esperar sairem lá de cima precisamos arrumar alguma forma de descansar neste lugar. Quanto tempo ficaremos aqui? ." O lobo ouviu a resposta e apenas olhou em volta, naquela forma era dificil saber se havia gostado ou não da minha resposta.
" - Você tem razão mas não temos tempo, vamos para cima e a partir de agora vocês são meus escravos. Demonstrem obediência mas olhem com raiva quando alguém se dirigir a vocês, se não forem convincentes teremos que nos defender. Provavelmente devem ser apenas arruaceiros, podemos com eles mas eu prefiro passar sem chamar atenção dos controladores locais porque não temos dinheiro para lidar com eles." Assim Warwick nos indicou o caminho transformando-se novamente no monstro e subimos a escada, havia um corredor com uma porta mais simples de metal e os gritos junto de algumas risadas maldosas vinham de tras daquela porta. O corredor dava em outros caminhos e eu queria explorar uma alternativa mas ele indicou que abrisse a porta e mesmo contrariada pensei que ele podia estar me testando. Uma hora ou outra teríamos que enfrentar a realidade de nossa escolha então respirei fundo, girei a maçaneta e abrindo a pesada porta atravessei para o outro lado.


Saímos em um pátio amplo entre dois prédios, haviam muitos destroços espalhados pois parte do segundo prédio estava destruída. Mesmo sendo dificil enxergar a divisão entre o piso de algumas salas chamava muito atenção, mas não tanto quanto os montes formados por corpos espalhados pelo pátio, o cheiro de morte pairava no ar e a névoa parecia menos densa com a quantidade de tochas e fogueiras ao redor. Homens usando braçadeiras com o símbolo de uma caveira com um olho de cristal chicoteavam e amarravam pessoas assustadas. Um deles parecia o líder, estava bem vestido e usava uma máscara de ar no rosto empunhando um cetro. Fomos notados imediatamente e cercados com apenas um gesto. " - Parece que o "Circo da Morte" chegou na cidade, andaram pegando o caminho errado?" O homem tirou a máscara para nos ver melhor. Tinha um bigode esbranquiçado e faltava um dos dentes caninos mas ele sorria com nossa presença. Warwick olhou em volta e fez com que déssemos alguns passos se dirigindo ao homem. " - Realmente me desviei um pouco da minha rota. Sou um mercador e trago encomendas para o prefeito." O sorriso do homem sumiu por um momento mas ele tentou manter a conversa cordial enquanto nos olhava atentamente. " - Vejo que tem ítens bons aqui. Talvez possamos fazer negócios antes que continue. Eu adoraria "ter" esta exótica e linda escrava que você esta vendendo." E levantou meu rosto com o cetro, eu não precisava fingir raiva, ao ver o desprezo com que ele e os homens tratavam os cadáveres e prisioneiros eu estava transtornada o suficiente.


" - Como eu disse estes ítens foram encomendados. Esta mulher é um ítem raro escolhido especialmente para servir o prefeito. Se preferir nos acompanhar pode tentar negociar com ele, mas você conhece o homem não é mesmo? Acho dificil que ele não se ofenda após ter tanto trabalho para acha-la. Sou o comerciante Ralf e tenho outros ítens menos raros mas tão bonitos quanto ela se quiser mesmo negociar os trarei da próxima vez." O homem ficou agitado andando para um lado e para outro enquanto ria. " - Hahaha, você é bom Ralf, eu gosto disso, mas o que garante que você volte? Tenho coisas boas aqui para um negociante de classe. Veja isto, escravos fortes que você pode programar para te obedecer, tecnologia roubada e adaptada de Zuan funcionando maravilhosamente. Eles podem cuidar de três como vocês assim, num estalar de dedos. Se vocês nunca chegarem ao seu destino seria muito decepcionante, não? Não acha um ótimo negócio?" Quando ele estalou os dedos dois enormes homens se aproximaram eles tinham placas eletrônicas ligadas à cabeça revestidas por ligamentos de ferro curvos para proteção, mas era um trabalho muito mal feito dado ferimentos expostos que estavam infecçionando. Warwick riu ainda mais alto olhando para os dois e devolveu a ameaça. " - Ora, vamos, você acha mesmo que conseguiria manter esta mulher depois de interceptar a mercadoria do prefeito? No momento que alguém levantasse o rumor sobre ela você seria caçado. Desviamos o caminho e estamos atrasados, talvez o prefeito já tenha ordenado que nos procurem, se nos encontra aqui você terá que explicar porque esta nos segurando. Com o humor daquele homem é uma aposta bem grande para o seu negócio não é? Mas eu vou fazer minha entrega e esquecer que me propôs isto belo bem de nossos negócios futuros, afinal, você tem mercadorias que me interessam."


Wawick mantinha um sorriso confiante encarando o homem e eu me perguntava se conseguiríamos lidar com aqueles brutamontes quando uma pequena mão segurou o pé de Tibbers assustando-o. " - Me ajude..." Era uma pequena garotinha suja de sangue caída no meio dos cadáveres. Tibbers a olhou diretamente nos olhos e as lagrimas dela o desarmaram totalmente. Conforme a expressão no rosto dele começava a mudar Warwick pisou sem a mínima piedade sobre a mão dela puxando-o com força pelo braço. Surpreso e indignado, Tibbers se esforçou para não reclamar tendo o braço sendo espremido com força, mas era o único modo de Warwick para remediar a situação. " - Pare de brincar com a mercadoria do meu futuro cliente ou terei que entregar você mais danificado. Você não quer me fazer perder dinheiro não é escravo?" E enquanto Tibbers cheio de revolta nos olhos balançava a cabeça respondendo que não, o homem fez um sinal para que seus capangas pegassem a criança caída. Ela foi levada chorando para um grupo onde outras seis pessoas que estavam amarradas. " - Desculpe por isto, não é minha intenção me meter nos negócios do prefeito e você tem razão. Pode ir mas espero que volte para fazermos negócio, ouça, eu posso conseguir os serviços do melhor assassino de Overpilt se você precisar que alguém seja morto." E Warwick apenas acenou afirmativamente para o homem e nos empurrou para que continuássemos até que atravessamos todo o pátio e saímos por outra porta que dava caminho a mais escadas e corredores.


Assim que fechamos a porta percebemos que o caminho á frente estava bloqueado por pedras, provavelmente o "negociante" queria dificultar que qualquer um xeretasse seu esquema. Seguindo as marcas de pegadas e sangue subimos as escadas pegando um caminho alternativo então Tibbers pode finalmente descarregar sua frustração sobre Warwick. " - Como você pôde fazer aquilo? Ela estava implorando por ajuda no meio de pessoas mortas!" Warwick não parecia abalado com a raiva do jovem urso e respondeu calmamente." - É o mundo em que vivemos garoto, você acha que estaríamos aqui se eu demonstrasse compaixão? Eu queria poder salvá-los tanto quanto você mas no instante que você estendesse as mãos seríamos atacados e ela estaria morta. Ao menos ela tem uma chance de viver mesmo sendo escrava." Eu não concordava com aquilo por isso tomei as dores de Tibbers. " - Mas nós somos mais fortes que eles, temos minhas raízes, sua força e a Annie. Se os pegarmos de surpresa acho que podemos salvar aquelas pessoas." O rosto de Tibbers se encheu de esperança " - Isso! Evelynn esta certa, podemos salvá-los!." No entanto nossa esperança apenas deixou Warwick furioso. " - NÃO! Vocês ainda não sabem lutar e eu sei que serão uma ajuda preciosa para a resistência, não posso arriscar assim. A vida daquela garota não pode ser comparada com a quantidade de vidas que vocês poderão salvar no futuro." Atravessávamos uma das salas demolidas e vendo parte do movimento no pátio encoberto pela névoa refleti se Warwick tinha razão, talvez um de nós se machucasse, alguns deles tinham armas e algum imprevisto podia acontecer. Já não me sentia tão confiante e o olhar de Tibbers me dizia que ele também não. " - Ei... Quem..." Por um instante ví uma silhueta escura no prédio do outro lado mas desapareceu assim que avançei para ver melhor. " - Saia da beirada, não é seguro, ainda não entendeu o que quero dizer?" Sem ter certeza do que era preferi não preocupá-lo e dei dois passos para trás. " - Não foi nada, estou cansada e falando sozinha." Entramos em um novo um corredor quando uma parede ruiu sendo atravessada por algo que parou em nossa frente. Era uma garota loira de rabo de cavalo com botas mecânicas de onde saia uma luz azul as botas havia formado um jato de impulso que fez com que ela derrubasse a parede como se fosse papel, restícios de energia no braço dela haviam evitado a poeira com bastante eficácia. Logo em seguida um cachorro mecãnico com grandes e afiadas mandíbulas saltou da nova passagem nos intimidando com uma grave voz eletrônica. " - Parem ai mesmo seus degenerados ou a protetora vai acabar com vocês! Vamos quebrar todos os seus ossos!" A garota retirou um bastão da cintura. Ela estava usando roupas normais mas era possível ver algum tipo de uniforme metálico-roxo protegendo do pescoço dela até as botas. As costas dela tinham uma proteção em forma circular que não era muito grossa para ser uma mochila e tinha um design com partes que se movimentavam conforme ela respirava. O rosto era a única parte desprotegida, ela tinha um olhar calmo e até mesmo tímido, aparentava ter uns 15 anos de idade.

 

[Continua no primeiro ou último post do tópico]

2 RESPOSTAS

Re: Lendas da Liga: Capítulo 2 - A Protetora

[Parte 2 de 3]

" - Olá, quem são vocês?" A voz da garota era pausada e a forma polida de falar indicava uma boa educação. " - Sou um mercador e trago encomendas para o prefeito." Disse Warwick e ela avançou um pouco. " - Mas o prefeito não pode enxergar nesta escuridão". E então Warwick se transformou em lobo e se sentou. " - Minhas encomendas tem sua própria luz." Ela colocou a mão sobre a cabeça do cão mecânico e olhou pensativa para nós. " - Entendi... Vocês são da resistência." O cão mecãnico ao ouvir aquilo avançou colocando-se entre Warwick e a garota e começou a esbravejar. " - Vocês são irresponsáveis, onde vocês estavam quando precisamos de ajuda? Agora pensam que podem vir assim sem aviso? Nós vamos dar uma surra em vocês, mostre para eles senhorita Jinx." Ela colocou a mão sobre um apoio nas costas do cão e o puxou para tras. " - Esta tudo bem Fishbones, ao menos eles podem ajudar agora e irei cobrar isto deles." Um grupo de pessoas saiu da passagem de onde ela veio. Estavam fracos, alguns andavam com dificuldade e tinham o olhar preocupado e desconfiado. Warwick fez um sinal para que ajudássemos enquanto iniciava seu interrogatório. " - Então você é a tão falada Protetora de Overpilt, como reconheceu o código mas não vejo meu contato imagino que algo deu errado, eu sou Warwick." Ela fez sinal para o grupo parar no corredor e se sentou em um degrau da escada. " - As caçadoras o capturaram e eu tive que escolher entre ele e este grupo de sobreviventes, senhor." Tibbers se aproximou dela sem entender quem era e o cão mecânico se posicionou para protegê-la. " - Não seja mole com eles senhorita Jinx, mostre quem manda aqui. Grrr." o urso deu um passo pra tras mas acenou para ela pedindo atenção, eu ajudava o resto do grupo a se sentar já imaginando o que Tibbers queria fazer. " - Parece que você sabe lutar, tem uma criança que foi presa por pessoas ruins aqui perto e precisa de ajuda. Pode nos ajudar a salvá-la?" Jinx olhou bem para as cicatrizes de Tibbers e depois para Fishbones e definiu sua posição. " - Fishbones esta certo, vocês da resistência não parecem estar preocupados com Overpilt. Esperamos bastante tempo por notícias de vocês e venho lutando sozinha desde então, o contato de vocês não foi de muita ajuda. Salvar esta criança é meu dever jovem urso, mas depois disso meu vínculo com vocês esta desfeito." Me aproximei e coloquei minha mão no ombro de Tibbers me dirigindo a ela. " - Somos novatos então não sabemos o que esta acontecendo, mas se pode ajudar a salvar a criança agradecemos." Warwick olhou zangado para mim como se eu houvesse cometido um erro e então me interrompeu. " - Minha novata está errada, salvar pessoas é o que todos nós fazemos, não agradecemos por você fazer seu dever. Tenho que me desculpar pela falha da resistência em ajudar vocês, não sei os detalhes da missão do meu contato ou porque houve essa falha mas preciso consertar. Uma vez que tenha aceitado ser uma de nós não é tão simples cortar relações como você pensa, mesmo que decida não entrar em contato iremos ajudar quando precisar, mas entenda que não somos à prova de falhas." Ela olhou surpresa, era uma garota que estava acostumada a trabalhar sozinha por isso nossa presença a deixava preocupada. " - Olhe, preciso tirar estas pessoas da cidade mas as rotas de fuga próximas foram bloqueadas, sei que vocês tem uma rota por aqui então estou pedindo por favor, me ajude." Warwick balançou negativamente a cabeça, não porque não queria mas porque não tinha como ajudá-la daquela forma. " - Infelizmente a nossa passagem de entrada só pode ser aberta pelo outro lado. Vamos ajudar a achar outra forma de sair mas preciso saber para onde levaram o contato. Se as caçadoras o levaram, então terei que ir atras dessas caçadoras. Te ajudaremos a salvar a criança e os escravos que estão presos no pátio logo à frente, mas não posso garantir que todos irão sobreviver." Fishbones encarou Warwick e abriu as mandíbulas da discórdia novamente, toda vez que falava era um resmungo diferente. " - Este mentiroso, obrigue-os a ajudar, não seja mole senhorita Jinx!" Ela havia entendido a situação mas os resmungos de Fishbones tinham peso para ela. " - Iremos até a passagem de vocês e a explodiremos, este é o plano." Warwick se transformou novamente no monstro e o clima da conversa tomou rapidamente um péssimo rumo. " - Vocês não tem como destruir aquela passagem e mesmo que tivessem ela é importante para o movimento e não poderiamos perder este recurso, entendido protetora?" Jinx não tinha muita auto-confiança para tomar aquele tipo de decisão e assim que fishbones se preparou para lançar o comentário agressivo que iniciaria uma briga, Tibbers estendeu a mão para ela. " - Levaremos os sobreviventes até a passagem, minha Annie pode abri-la. Eu sou o Tibbers, e esta é a Evelynn, estamos aqui para te ajudar." E com um olhar esperançoso ela apertou a mão do urso. " - Combinado Tibbers, obrigado! Se o lider de vocês estiver de acordo, vamos salvar estas pessoas juntos hoje." Warwick chegou à conclusão que era a melhor solução e acenou que concordava com o plano. Tibbers havia tirado Jinx de um grande dilema e começava alí uma grande amizade.


Voltamos para a sala anterior e começamos a bolar um plano, Jinx observava a movimentação deles procurando a melhor estratégia.
" - Eu e Fishbones cuidamos dos que estão armados, atacarei os da ponta e seguirei desarmando os demais, Warwick terá que lutar contra os maiores até que possamos ajudar. Se vocês lidarem com os chicoteadores conseguiremos resolver isso em pouco tempo, depois pegamos o chefe e ensinamos a ele uma lição. A névoa esta piorando e vai nos ajudar, mantenham-se em fila até que eu desarme pelo menos metade deles." Parecia um bom plano mas Warwick tinha suas preocupações. " - Posso atrasar os grandalhões mas não acho que vão cair fácilmente, tem certeza que consegue lidar com eles?" Fishbones se aproximou da beirada reconhecendo os maiores e respondeu. " - Eles são os esmagadores, o corpo deles foi cultivado sem cérebro, são controlados por um sistema eletrônico e não são muito espertos. Não serão problema para a senhorita Jinx, basta uma descarga elétrica na cabeça e eles fritam." Me senti mal por perceber que estavam criando aquele tipo de soldado. Aquilo significava que a vida para eles era descartável, um item desumano de troca.
Descemos as escadas e Jinx abriu a porta iniciando o plano. Enquanto ela acertava o primeiro capanga armado impulsionando-se com os jatos dos pés, O chefe deles deu a ordem de ataque. Fishbones avançou no segundo inimigo mordendo-lhe o braço, estávamos atrás seguindo as instruções da Jinx quando eles começaram a atirar. Um disco de energia se abriu do punho dela estendendo-se até criar um grande escudo, ela se colocou na frente parando as balas enquanto continava a avançar nocauteando um a um com um bastão metálico. Tibbers tirou Annie da garrafa e embora daquele tamanho ela não fosse tão eficaz derrubamos alguns dos homens que chicoteavam os sobreviventes até sermos agarrados por enormes mãos. Warwick não pôde lidar com os dois de uma vez porque eles eram mais rápidos do que havíamos previsto e havia vindo um em nossa direção, . Tentei usar minhas raízes mas ele nos espremeu com força e a dor do meu corpo não deixava eu me concentrar. Por um momento ouvi a voz Tibbers gritando comigo. " - Evelynn, eu vou te soltar." Mas Annie ignorou as ordens acertando o braço que o prendia. Olhei para baixo e ví um homem vestido de preto usando uma longa capa, o chefe dos homens que atacavamos estava caído a seus pés e parecia assustado apontando para a origem do ataque. O homem de capa virou o rosto em minha direção e nossos olhares se cruzaram, ele usava uma estranha máscara com partes brancas e pretas cobrindo o rosto e com surpresa no olhar ele estendeu uma das mãos invocando algo entre os dedos de sua luva. Em seguida ele arremessou o objeto em minha direção, era uma adaga estranha com um visor iluminado no cabo, ela cravou no braço do meu agressor e os símbolos no visor começaram a mudar como uma roleta até que lentamente parou em um símbolo vermelho. Tudo o que lembro foi de ser puxada e de alguém rolando comigo enquanto a adaga explodia. Era Jinx, e por muito pouco aquilo teria explodido no meu rosto. Atordoada e sentindo um pouco de dor percebi que estava sangrando. Alguns fragmentos haviam acertado minha perna mas por sorte não era nada grave, eu estava mais curiosa do que preocupada com a dor. " - Quem era aquele?" Perguntei enquanto ela saía de cima de mim e tirando pedaços de carne do corpo. " - Isso não é nada bom, o maior assassino da cidade acaba de tentar te matar e eu o impedí, isso significa que somos alvos agora mas depois eu explico, fique com seus amigos." Mesmo sem braço o enorme escravo avançava em direção de seu dono e Jinx foi atras para terminar o serviço. Warwick parou do meu lado estendendo a mão junto de Tibbers que guardava Annie de volta na garrafa. A situação parecia controlada mas não havia sinal do misterioso homem mascarado. " - Dia trabalhoso para vocês, novatos." Disse Warwick tentando disfarçar o cansaço pois a luta dele não tinha sido nada fácil. Me sentei e tentei rir da situação embora os machucados incomodassem um pouco. " - Parece que nosso tutor é mesmo muito forte, lidou sozinho com aquela coisa." Warwick olhou surpreso para o sangue em minha perna mas logo desviou o olhar, Tibbers olhava para as montanhas de corpos tentando achar outros sobreviventes. " - Gostaria de levar o crédito mas a garota torrou a cabeça do grandão com aquele bastão, o mérito vai para ela. Para onde ela foi e o que explosão foi aquela?" Antes que eu pudesse responder Jinx voltou arrastando o corpo do mercador e o colocou bem na minha frente enquanto Fishbones chegou bajulando-a pela vitória. A pele do homem estava roxa com outra daquela adaga cravada no peito, ele estava morto. " - Esta adaga tinha veneno, vamos pegar os sobreviventes e depois que eles estiverem seguros conversamos. Preste atenção ao redor e fique atenta de agora em diante moça." Assim buscamos o grupo de sobreviventes da Jinx escondido na escada e chegamos onde os escravos estavam amarrados. Expliquei para Warwick o vulto que eu tinha visto no outro prédio e como Jinx me salvou e ele me censurou por não ter avisado antes. Os escravos agradeciam pelo salvamento e assim que soltamos a garotinha ela correu e abraçou Tibbers com força. " - Você voltou para me salvar, eu sabia que era um herói, eu nunca vou esquecer você." Encabulado ele colocou a mão sobre a cabeça dela e sorriu. " - Meu nome é Tibbers, você vai ficar bem." Mas o que aconteceu em seguida foi uma surpresa. Ela o encarava com os olhos arregalados e o apertava com toda a pouca força que tinha. " - Você é ele, é o príncipe das histórias da minha mãe. É o meu príncipe e agora que nos encontramos eu nunca mais vou abandonar você. Nunca!" O olhar dela beirava a insanidade, estava feliz e traumatizada ao mesmo tempo. Naquele momento a garrafa que Tibbers carregava se quebrou e Annie saiu atirando a garotinha violentamente contra o chão. " - Quem é você sua maldita?!" Disse a garotinha com ódio encarando a pequena Annie mas antes que pudéssemos fazer algo ela foi atacada novamente e caiu inconsciente após ser atingida na cabeça. " - Annie, pare!" Quando Tibber tentou pará-la, a Miniatura de Annie já havia se desfeito em uma poça e não parecia apresentar mais perigo. Me aproximando pude notar que o líquido estava quente. Se é que o espírito tinha algum, Annie teria chegado a seu limite? Jinx se aproximou e verificou a condição da menina e após isto instruiu que o grupo fizesse uma fila. " - Vocês estão livres mas nem todos podem ir conosco, preciso examinar vocês para saber o quanto a névoa pode afetá-los." Alguns reclamaram mas no final todos passaram pelo mesmo procedimento. Parte do tecido que chegava às mãos de Jinx estava equipado com sensores neurais. Assim que terminava a varredura ela transferia os dados para Fishbones que fazia os cálculos necessários. " - Este grupo é seguro senhorita Jinx." Um pouco preocupada ela olhou para a garota caída e pediu uma confirmação. " - A criança tem variações anormais mas se encaixa no quadro de trauma. Ela esta classificada como elemento de pesquisa nos parâmetros estabelecidos pela doutora, é uma ótima oportunidade para os cientistas testarem as variações. O restante está nos níveis aceitáveis de influência mínima da névoa. " Jinx estava um pouco indecisa, não pensava na menina como oportunidade mas sim como risco. " - Acho que o comportamento dela foi paranóico e psicótico e mesmo que eu não seja especialista não vou arriscar, ela não vai com o grupo Fishbones. Tibbers sorriu e se aproximou esperando poder carrega-la. " - Então ela vai conosco, podemos cuidar dela." E assim que tentou pega-la, foi impedido por Warwick. " - Você entendeu mal garoto, a protetora é uma excessão, assim como você. A única razão de termos aceito vocês é porque podem atacar e se defender. Ela deve ter uns 7, no máximo 8 anos, e vai morrer no fogo cruzado do primeiro problema que cruzar nosso caminho. Vamos deixar esta criança em alguma zona neutra e torcer para que ela dê sorte, ela ainda terá chances melhores que conosco. É ruim, mas é o que podemos fazer por ela." Tibbers entendeu o que estava acontecendo e decidiu intervir. " - Ela estava no meio dos mortos e pediu ajuda e vocês vão simplesmente largar ela em qualquer canto?." Eu também não gostava da idéia, mas não entendia como as coisas funcionavam. Eles pareciam bem seletivos sobre quem poderia ser salvo mas eu nunca ficava calada em situações assim. " - Jinx, você não tem certeza, não é? Olhe pro estado que ela esta, vai saber o que ela passou para chegar até aqui. Se ela não tivesse pedido ajuda este grupo estaria perdido, não acha que ela tinha direito de se descontrolar? Você vai mandar estas pessoas para um lugar seguro com gente que pode lidar com o problema que ela tiver, não vai?" E pensando a respeito Jinx ainda não estava confiante. Tibbers puxou-a pelo braço desconcentrando-a, estava irritado com sua indecisão. " - Quanto tempo você vem lutado para perder sua compaixão assim? Ela é só uma criança!" O olhar angustiado de Tibbers abalou-a, ela olhou para a criança machucada e indefesa coberta de sangue e lembrou do principal, não era culpa dela, era apenas uma criança. Fishbones não deixaria que a situação fosse resolvida facilmente. " - Você manda aqui, não deixe que eles te influênciem, a decisão é sua." Jinx se aproximou melhor e viu que ela usava uma correntinha no pescoço, puxando-a para fora encontrou um pingente dourado redondo com um nome marcado e a foto de uma mulher de sorriso gentil na parte de tras, provavelmente mãe da garotinha. " - O nome dela é Lulu. Vocês estão certos, estou lutando a muito tempo e ficando paranóica. Ela esta dentro dos parâmetros e vai com o grupo, não posso acreditar que eu ia mesmo deixa-la à própria sorte. Quero dizer, ela nem pode se defender, mesmo que o tratamento não ajuda o que poderia dar errado, não é mesmo? Eu... Eu tenho compaixão, não sou assim." Estava desconcertada, mas Tibbers sorriu e consolou-a. " - Ei, tudo bem, deve ser bem dificil a luta de vocês, mas tudo vai ficar bem, nós iremos ajudar." Ela acenou que sim e o grupo de sobrevientes ajudou carregando a criança. Enquanto seguíamos de volta ao ponto de partida, a poça de Annie se arrastava atras do grupo.

[Continua na Última Parte]

Re: Lendas da Liga: Capítulo 2 - A Protetora

[Última Parte]

Atravessamos a porta de metal e descemos a escada. O grupo estava pronto mas havia um problema, Annie ainda tentava recuperar a própria forma. Assim que Warwick indicou a parede ela atravessou pelos vãos mas não sabíamos se ela teria forças para girar a escotilha ou mesmo se entendia o que precisava ser feito. Os minutos passavam e a chance de sermos descobertos crescia. " - Vamos derrubar esta parede." Disse Fishbones tentando morder a textura antes de ser empurrado por Warwick. " - Eu disse que não podemos perder a passagem, vamos procurar outra saída." Jinx parecia muito contrariada por aquela reação. Para acalmar os ânimos decidi intervir. " - Acalmem-se, vamos fazer assim, a Jinx me conta sobre o tal assassino que me atacou e se não conseguirmos abrir a porta até ela terminar procuraremos outra passagem. Se as coisas ficarem muito complicadas voltamos e derrubamos a porta, pelo que entendi estamos em dívida com ela Warwick, pelo menos temos uma chance de acertar as coisas." Eles se olhavam sériamente mas após minhas palavras Warwick decidiu ceder concordando com a solução. Jinx pensou um pouco e viu que seria a melhor forma para agradar ambos os lados então começou a explicar o problema em que havíamos nos metido.
" - Aquele homem é um assassino frio e calculista bem conhecido em Overpilt mas ninguém descobriu sua identidade ou foi capaz de capturá-lo. Quando começaram os primeiros assassinatos ele poupou a vida de algumas pessoas se apresentando como Twisted Fate e declarando os telhados de Overpilt como sua propriedade. Se ele encontra alguém sozinho em um telhado ele se aproxima da pessoa e pergunta quem ela gostaria que morresse e porque, então depois de ouvir a história ele persegue o alvo e pergunta seu lado da história. Então ele faz seu próprio julgamento e execução ou perdôa a pessoa. Dependendo do caso ele pode voltar a procurar a pessoa que fez o pedido e a executa. Por isto lidar com este homem é fazer uma aposta de vida ou morte e ele não tolera insultos, o chefe daqueles homens estava se aproveitando de escravos obrigando-os a ir para os telhados encomendar mortes em seu lugar e vocês viram qual foi o destino dele." Eu ouvia com atenção ficando cada vez mais curiosa com aquele estranho mas havia um detalhe que não encaixava com aquela explicação. " - Se ele é tão seletivo como você diz, porque ele me atacou?" Jinx colocou o ouvido na parede para ouvir se Annie estava ao menos tentando do outro lado e ao ouvir o barulho de gotas caindo no chão respondeu. " - Eu não sei, não é normal ele agira assim. O que sei é que eu o impedi de matar e ele vai voltar para terminar o serviço e vai me procurar, isso é uma certeza."
Eu tinha minha resposta e o clima estava prestes a ficar pesado novamente, hoje penso que Annie entendia o que estava fazendo e colocou todo o seu esforço para abrir aquela porta pois separaria Lulu de Tibbers, mas é dificil afirmar com certeza quando se tratava de Annie. Ouvimos a escotilha girar e a passagem se abriu embora a poça de água estivesse totalmente imóvel, Tibbers a chamou sem obter qualquer reação. Jinx deu instruções para o grupo chegar até Zuan e lhes entregou um cartão de identificação, assim que eles atravessaram e a passagem se fechou novamente estávamos os quatro mais o cão robô avaliando qual seria o próximo objetivo. " Se seu contato ainda estiver vivo ele estará em uma cela na prefeitura ou na central dos controladores. Sinto muito mas não há como invadir o lugar, é perigoso demais, infelizmente ele é uma baixa." Warwick fez sinal para que começassemos a andar e assim refizemos o caminho. " - Não precisaremos invadir ou atacar, eu posso simplesmente me misturar e perguntar o destino do contato. Se ele estiver morto não há mais nada a fazer, mas... Acho muito dificil que seja esta a situação, ele tem um grande coração e não se deixaria capturar facilmente. Posso dizer com certeza que ele fez isso para salvar sua pele." Pelo semblante de Jinx, ele havia acertado em cheio. Enquanto seguíamos Tibbers estava preocupado, Annie sempre aparecia quando ele chamava e toda aquela agitação podia estar enfraquecendo-a. Passando pelo pátio levamos um susto, o chefe morto estava sendo arrastado por algo. Quando me aproximei ví um cabo se soltando dele e senti uma vibração enquanto círculos pequenos de luz se acendiam em volta do corpo. Jinx pulou na frente do grupo abrindo o escudo e gritou antes que as explosões acontecessem. " - Para trás!" Nos jogamos no chão com as explosões, não haviam sido muito potentes mas era uma armadilha bem montada. Após risos, uma voz adolescente ironizava a situação. " - Ratinha, Ratinha?! Onde esta você?" E em seguida o corpo de um dos enormes escravos foi jogado em cima de Warwick. Jinx nos ajudou a levantar e fizemos um semi-circulo onde Warwick estava caido. " - Quem está nos atacando?" Perguntei vendo apenas alguns vultos se escondendo na névoa, Jinx estava séria e Fishbones nos rodeava tentando localizar de onde viria o próximo ataque. Ela retirou o bastão e energizou o traje se preparando para o que viria a seguir. " - As caçadoras estão aqui."

Antes que eu pudesse reagir alguém pulou o corpo por cima de nós e um dispositivo pontudo ligado a um cabo fino mas resistente atingiu meu ombro abrindo garras que perfuraram minhas pétalas. Fui puxada a alguns passos do grupo dando de cara com a jovem dona da voz, ela devia ter uns 18 anos e vestia uma roupa preta bem colada ao corpo. Tinha um aparelho na cabeça em forma de orelhas de gato e por um momento pareceu surpresa e maravilhada ao me ver. " - Ohh, colhi uma flor!" E ao erguer uma luva cheia de garras afiadas foi mordida no braço por Fishbones que pulou antes que ela acertasse meu rosto. " - Pulguento de metal!" Apesar da ajuda que tive o grupo não estava em melhores condições. Chutei a ombreira de metal de onde saiam os cabos e consegui me soltar do 'gancho' à custa de muita dor. Quando olhei para trás uma grande espada negra desferia um golpe cortando em dois o corpo que prendia Warwick. " - Não... WARWICK!!!" Eu estava assustada e não sabia o que fazer, uma criatura negra alta como uma árvore se erguia detrás do corpo dividido envolta em névoa. Eu podia ver uma mulher dentro daquela coisa, havia um cockpit na parte do peito com um visor amplo transparente e conforme ela avançava, os detalhes da criatura ficavam mais planos, o monstro tinha design de uma máquina de combate construída para ambientes de guerra, se assemelhava a uma guerreira sem quase nenhum detalhe na face e portava uma gigante espada negra. A mulher que a controlava tinha por volta de 40 anos e parte de seu rosto e corpo eram biônicos. Ela nos analizava com uma fria expressão enquanto seu olho direito avançava e retraia as lentes fazendo os cálculos para o próximo ataque. Corri na direção do grupo deixando Fishbones para trás e assim que me aproximei da mulher ativei minha ilusão. Ela ficou confusa por um breve momento pois seus olhos viam coisas diferentes. Warwick surgiu do meio dos restos de carne morta em forma de lobo de seu esconderijo e correu em nossa direção. Eu não conhecia o homem meio grisalho de sorriso apaixonado criado a partir da mente dela mas aquilo a deixou furiosa. " - Como ousa mexer com minhas memórias? Você está morta criança." Eu estava recebendo muitas ameaças de morte em tão pouco tempo e aquilo me fazia pensar em quanto tempo até que alguém conseguisse cumprir a palavra. Respirando ofegante eu tentei correr com os outros, até chegar a conclusão que seria inútil tentar fugir daquela coisa, ela nos perseguiu e sem ter onde fugir eu contava os segundos finais onde eu teriamos que desviar e lutar ou simplesmente morrer, Eis que uma das estranhas adagas com o símbolo travado em vermelho atingiu o chão no caminho da armadura e após alguns segundos explodiu fazendo com que a atacante parasse.

Twisted Fate apareceu em meio à fumaça da explosão mantendo o braço estendido em nossa frente e a encarou com tamanha frieza a gigante ameaça que era dificil adivinhar quem recuaria. " - Eles são meus, procurem outra presa hoje caçadoras e eu esquecerei que atrapalharam meus negócios." Jinx e os outros me puxaram enquanto eu assistia àquele confronto. " - É nossa chance, temos que sair daqui." Disse Jinx enquanto contornávamos o pátio mantendo uma distãncia razoável da estranha armadura que mantinha os olhos de uma luz pálida em nossa direção. A jovem com orelhas de gato havia regulado o dispositivo e parou para pedir permissão antes de nos seguir. " - Devo perseguí-los ou cuidamos do problema imprevisto, madame Vi? Vou adorar arranhar esta máscara até chegar em quem está por trás dela." A implacável madame Vi começou a analisar o lugar para iniciar sua luta com Twisted Fate. " - Eu cuido disso, este assassino escolheu uma péssima hora para interferir e vai pagar por isso. Não os deixe fugir, eu a encontro assim que terminar com este contratempo."
Atravessamos a porta correndo com a gata perseguidora em nosso encalço. Enquanto subiamos as escadas e pegávamos caminhos apontados por Jinx eu perguntava sobre o novo problema em que estávamos. " - Quem são estas loucas? Eu nem conheço estas pessoas mas elas atacaram para matar." Jinx desceu sob um chão destruído que dava em uma série de galerias de esgotos e ajudou Tibbers a descer. Eu tive que me virar sozinha e acabei arranhando as mãos mas não podíamos parar. " - Elas são as caçadoras que trabalham para o prefeito, ele esta conectado ao Instituto da guerra e tem aumentado o controle da cidade, por esta razão eu aceitei me tornar um membro da resistência. Vi utiliza a valquíria negra e é muito perigosa, aquela armadura é formada por névoa sólida portanto é um problema se você for atingida. A mais jovem atrás de nós é a Caitlyn, é conhecida como a gata perseguidora porque gosta de brincar com as vítimas." Fishbones ia na frente e complementou as explicações da dona. " - E elas querem pegar a senhorita Jinx porque nós libertamos escravos e restauramos a liberdade nas ruas abatendo controladores." Warwick seguia do meu lado e parecia esperar a deixa para forçar mais informações. " - E essa tecnologia de névoa sólida foi criada pelo falecido pai de Jinx o que faz delas rivais." Então Jinx parou e o olhou preocupada demonstrando ter sido irritada. " - Vi matou meu pai, não somos rivais, somos inimigas mortais. Embora eu tenha a missão de fazê-la a pagar por seus crimes eu não hesitaria em tirar a vida dela e ela pensa da mesma forma. Continuem seguindo Fishbones, vou ficar e lidar com a Caitlyn." Discordei prontamente daquela idéia, a garota estava decidindo aquilo no calor do momento e não queria que ela se machucasse pela falta de tato do Warwick. " - Estamos um pouco nervosos mas se pensarmos bem estamos em maioria, vamos ficar e enfrentar a gata, nnão precisavamos estar fugindo." E aquilo deveria resolver tudo se o intrometido cão de metal não intervisse. " - A senhorita Jinx pode lidar com Caitlyn com uma mão nas costas, ela esta no comando aqui." E ela concordou com ele. " - Fishbones esta certo, enquanto estão aqui vocês são minha responsabilidade, eu sei muito bem o que estou fazendo, preciso dar tempo para vocês escaparem antes que a Vi consiga se juntar à caça. Eu sou a mais rápida aqui, sigam Fishbones que ele os levará a um lugar seguro. Já é bem difícil ter que lidar com todos os criminosos da cidade para ter que me submeter ao capricho da resistência, isto é uma ordem." Warwick não estava nada feliz com aquilo mas se limitou a abaixar o fucinho e se posicionar ao lado do cão robô.
" - Sigam a ordem da protetora, somos visitas então vamos seguir as regras da anfitriã." Disse com a voz pesada para deixar claro que se sentia forçado a concordar. Assim continuamos a correr pelas galerias enquanto eu olhava para tras e via aquela jovem garota caminhando em direção à perseguidora. Ela não demonstrava medo mas dava para sentir no tom de voz que ela não era uma líder e aquilo me preocupava. Fishbones parecia ser a peça chave que a impulsionava a ser firme nas decisões difíceis, ela ficaria bem lutando sozinha? Eu tinha minhas dúvidas e percebia que aquela preocupação por eles crescia, estava me afeiçoando rápido à aqueles estranhos e por mais que estivesse sendo perigoso e eu não quisesse admitir, eu estava gostando.

Prévia do próximo capítulo
" Não posso permitir que Tibbers se torne um servo carniceiro da névoa.
Fishbones, Evelynn não pode invadir a prefeitura, como deixou isto acontecer?
Enquanto me esforço em mantê-los a salvo eles continuam seguindo seus próprios planos.
Nosso confronto se tornou inevitável Vi, e desta vez eu não vou fugir. Estou furiosa!"