cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Lendas da Liga: Capítulo 1 - A Aliança

Lendas da Liga: Capítulo 1 - A Aliança

Repostando no Fórum novo após revisão.

Este é um universo alternativo baseado no jogo League of Legends. As origens dos personagens, assim como os lugares onde a história se passa podem ter referências mas são diferentes dos originais. O que foi preservado foram os nomes dos personagens, assim como suas estruturas faciais. Mesmo assim, idade, raça, status social, e nacionalidade tem uma alta chance de estar diferentes do que os fâs estão acostumados. Tenha em mente que o campeão que você gosta pode ser odiável neste universo se pretende embarcar nesta leitura e espero que se divirta e descubra um formato do League que você nunca viu.


Introdução

" - Terarune enfrenta seu período mais obscuro, a névoa se espalhou corrompendo a mente dos habitantes, gerando discórdia e destruição. Não se sabe o que a causou mas a única esperança de que um dia exista a paz esta no esforço de bravos guerreiros que resistem à sua influência. Esta luz na escuridão luta para recuperar este mundo desonesto salvando o povo de Terarune de destruir a sí mesmo. Eu sou um destes salvadores, nós somos a liga e esta é a nossa história."
A Rosa Mortal

 

Lendas da Liga
Capítulo 1 - A Aliança

 

Aquela jovem correndo assustada pela floresta da Ilha das Luzes era eu, um ser de luz de aparência parte humana parte flor, há muitos momentos importantes na história que vou contar mas acredito que aquele conturbado encontro foi onde tudo começou, o ponto central em minha vida de toda mudança que afetaria o mundo. Por isso escolhi este ponto para começar a contar a minha história e a guerra de Terarune contra a névoa. A Ilha das Luzes era como um santuário ignorado pelo mundo, um lugar que a névoa não tocava e mesmo assim era pouco visitado, por isso nós que vivíamos alí sentiamos uma certa segurança. Quem me perseguia implacávelmente era um lobo azul que não era natural da Ilha, mas um visitante inesperado. Eu podia sentir a névoa impregnada em seus pêlos e após correr bastante começava a demonstrar sinais de cansaço. Me escondi entre flores atrás de um tronco de árvore enquanto ele se aproximava lentamente em minha direção. Ele se sentou lambendo as patas sujas de um pouco de favo que eu havia derrubado e começou a falar: " - Já se cansou jovem? Eu podia ter pego você a muito tempo mas achei que ouviria melhor quando não pudesse mais correr. Podemos conversar ou você ainda vai resistir?" Eu não respondi, esperei ele se aproximar então fiz minhas raízes de luz brotarem da palma de minha mão em direção ao fucinho dele que pulou escapando como se já esperasse por aquilo. Sem tirar os olhos de mim ele voltou a avançar e aproveitei para formar um elo mental me transformando em uma loba de sua espécie. Em resposta, do peito dele brotou um grotesco punho me atingindo em cheio. Rolei entre as flores com tamanha força, não podia acreditar que ele tivesse tal surpresa. " - Isso não vai funcionar comigo Evelynn." Caída e tentando me recuperar da dor virei meu rosto e o lobo havia se transformado em um monstruoso e alto homem sem pelecom o corpo coberto de veias expostas, haviam cortes em seu rosto e eu podia ver o movimento do coração batendo no peito.
" - Se você sabe meu nome então veio aqui por minha causa. Por que motivo mandaram um monstro para matar uma flor?" Suspirei enquanto ele se aproximava rindo da minha suposição, esperei a distância certa novamente e aproveitei a chance para tocar na perna dele e descarregar minha luz. Ele gritou então me virei e corri, estava salva... Mas após alguns minutos seu mostruoso braço me imprensou estupidamente contra uma árvore, eu não havia sentido-o se aproximar, como fui burra em achar que ele teria desistido facilmente. " - Não estou aqui para matar você, mas não faça isso de novo porque eu fico muito nervoso quando mudo de forma." Recado entendido eu apenas acenei que sim com a cabeça e ele foi afrouxando o braço. Lembro que pensei em correr de novo mas não sentia mais a energia da névoa vindo dele e essa curiosidade que me salvou pois ele nãome conhecia ainda e não teria hesitado mais desistir de sua missão. " - Se você é uma criatura boa, apesar de bem feio, e não vai me matar... O que faz em minha floresta senhor?" Havia dito sorrindo e usando meu charme inocente daquela época enquanto procurava um espaço para correr novamente caso estivesse enganada. Retornando à forma de lobo ele se aproximou rapidamente não deixando espaço para que eu tentasse fugir e me cheirou. " - É fácil te achar pelo seu cheiro então me ouça com atenção e não tente fugir que assim eu não tenho que te derrubar de novo, Ok? Vim aqui para pedir sua ajuda, meu nome é Warwick. ".

 

Lembro de ter tentado dizer algo ao ver um circulo negro se abrir no céu mas antes que eu pudesse entender uma torrente de névoa em forma de gotas me acertou. Ainda lembro da dor e da sensação que tive naquela primeira vez que fui tocada pela escuridão, ela devorava minhas pétalas matando a luz ao redor desbotando minhas cores. Fui pega pela enorme mão de Warwick e puxada para fora daquele martírio irritada e com a visão turva, o mundo estava estranho e uma sombra se aproximava vindo da floresta. Warwick impôs seus poderes sobre mim extraindo a névoa que estava em meu corpo e eu pude finalmente ver que a sombra era uma mulher jovem usando um estranho vestido negro, mas o que mais chamava a atenção era uma jóia da mesma cor do vestido que parecia estar cravada adentrando-lhe a testa. Ela avançava determinada com o olhar fixo em Warwick.
" - Soraka! Eu estava esperando que você aparecesse." E me soltando ele sussurrou para que eu escutasse. " - Ela é uma sacerdotisa da névoa que esta aqui para me prender, como você esta comigo ela vai tentar te matar, então vamos ver se você é capaz de pará-la." Percebendo o problema em que ele me colocou arregalei os olhos de medo, seres da névoa estavam na Ilha das Luzes, eu nunca havia lidado com tal problema. " - Moça, eu nem conheço este homem. Não tenho nada a ver com isto." Mas quando olhei para o lado Warwick havia desaparecido e a mulher me encarava, respirando fundo eu dei um passo para trás e me virei começando a correr.
Após alguns passos um círculo se formou no chão e eu caí mergulhando novamente em uma névoa espessa e turva como a água de um pântano. Eu me debatia e perdia minhas forças quando ouvi a voz de Warwick zombando da situação. " - Deste jeito você vai morrer Evelynn, onde esta aquela luz pela qual você ficou conhecida?" Sim, a luz, eu estava com tanto medo que havia esquecido dela, abrindo os braços eu deixei que as raízes de luz se espalhassem em volta de mim e com um lampejo as flores de luz brotaram me atirando para cima e destruindo a névoa ao redor. " - Hah, muito bem, você tem potencial." Disse Warwick em forma de lobo esboçando um sorriso enquanto se escondia abaixado entre as flores. Eu estava livre e com raiva mas meus problemas não estavam resolvidos, a mulher se aproximou de mim e fiz instintivamente o que sempre fazia para me proteger, a iludí.
" - Castian, me perdoe. Por favor me perdoe! Como eu posso me redimir?" E assim Soraka se ajoelhou diante de mim, ela havia entrado na área da minha ilusão e logo sofreria os efeitos da minha luz. Bastava apenas eu criar uma raíz pontuda no lugar certo para acabar com seu sofrimento e assim o fiz. A luz foi se formando palmo a palmo em direção ao coração dela até que Warwick intervisse bloqueando o golpe com as costas. Confusa e assustada com seu grito de dor eu interrompi o crescimento da raiz e ele fechou os punhos e golpeou Soraka fazendo com que ela perdesse os sentidos.

 

Me aproximei observando a queimadura dos meus espinhos nas costas dele e dei um passo para o lado, instintivamente queria matá-la pela dor que senti mas o gigantesco braço estendido na minha frente deu a entender que Warwick não permitiria isto. " - Chega, já é o bastante." ele disse e me encarou, eu ainda estava sob efeito da névoa e se não fosse pela ameaça dele eu teria mesmo dado um fim à vida Soraka aquele dia.
" - Ela tentou me matar, porque não posso matá-la? E vocês são invasores aqui, por que acha que vou te ajudar? Quero esta praga fora da minha floresta agora!" Colocando Soraka nas costas ele se virou para mim e fez um sinal para seguí-lo enquanto tentava me convencer do porque EU precisava ajudá-lo. " - Soraka não sabe o que faz, ela esta enlouquecida pela névoa. Mas como pode ver, a névoa pode chegar até aqui e sua floresta esta em perigo, você irá me ajudar rosa?" Enquanto andávamos para os limites da floresta ele me explicou que minha floresta estava nos planos de ataque de uma facção de Iolith e que se eu não fizesse nada iria acabar sendo uma das vítmas de uma devastação programada para destruir a ilha das luzes. " - Eu posso me defender muito bem, você pode voltar para onde veio e não precisa mais aparecer por aqui." Ele me ergueu pela cintura enquanto me encarava com a carne dos cortes do rosto tremendo de raiva. " - Você acha que esta protegida na Ilha das Luzes mas não está Evelynn e uma flor não é nada para os que querem ver a destruição deste lugar. Soraka quase te matou e não tem como os habitantes da ilha enfrentarem um exército. Entenda que eu não me importo com este lugar, só estou aqui porque me forçaram a isto e se você não ajudar eu posso atender seu pedido e apenas te deixar para morrer. Ou melhor, talvez eu mesmo devesse te matar." Ele sorriu na última frase, como se aquilo fosse uma ótima opção. Eu bati no braço dele indicando para que me colocasse no chão e como não obedeceu o enfrentei. Acho engraçado ter feito isto pois não sabia o quanto estava em desvantagem na época. " - Ok, me coloque no chão. Você não vai me matar porque precisa de mim então aja com mais respeito, primeiro quero saber o que precisa que eu faça e depois decido se ajudo ou não. Entendeu grandalhão?!" E torcendo os lábios por um momento ele soltou um suspiro e me desceu. " - Tenho que salvar uma criança em uma floresta mas preciso das suas habilidades para me aproximar. Vai ajudar ou não, rosa?" Ao chegarmos nos limites da floresta havia um barco a vapor ancorado na margem, eu não lembro se aceitei ajudá-lo por curiosidade ou se minha preocupação era verdadeira, pensando nisto acho que é provável que eu só quisesse aventura mas o fato é que entrei naquele barco e após amarrarmos Soraka começei a perguntar mais sobre aquela missão.
" - Então é só isto? Só pegar uma criança em uma floresta e fim, não vai ser perigoso nem nada certo? Eu não entendo o que isso tem a ver com impedir a invasão da ilha." Travando o leme e ligando os motores ele correu para frente do navio em forma de lobo e me respondeu. " - Eu não disse que não seria perigoso, é uma criança que já matou muita gente por isso se eu me aproximar é provável que eu seja morto também. Fora que não sejamos os únicos interessados, talvez tenhamos que lidar com intrusos ou animais selvagens. Mas se você ajudar, meu grupo irá se encarregar de destruir os planos de invasão." Fui para fora já me arrependendo daquela decisão, além do perigo nos aproximávamos rapidamente da fronteira entre a luz da ilha e a grande muralha de névoa que nos separava das trevas de Terarune e eu começei a ficar ofegante e nervosa. " - Warwick, eu mudei de idéia, quero voltar. Pensei que fosse mais simples e nunca estive no continente. Sou apenas uma rosa da floresta, desculpe ok?" Ele riu e inclinou a cabeça de lobo sendo engolido pelas névoas havia colocado os motores no máximo e antes que eu pudesse pensar em pular do barco o mundo se tornou escuro como a noite.

 

Lembro que eu sentia o toque frio da névoa contra minhas pétalas e meu corpo inteiro tremia de medo. O barco parecia mais solitário e o tom desbotado deixava um o cenário mais triste. Era difícil enxergar muito à frente e a impressão era de ter entrado em um pesadelo, as primeiras palavras que ouvi aoentrar neste novo mundo não foram nada agradáveis. " - Eu vou matar você. Vou extinguir este seu cheiro e destruirei cada pedaço seu até que não sobre sinal de que um dia você existiu..." E olhando para o ponto de onde vinha a voz pude reconhecer Soraka com os olhos arregalados e fixos em mim. Se machucando enquanto tentava se soltar ela demonstrava o quanto aquelas palavras eram sinceras.
" - Acho que ela gosta de mim, ops." Rí enquanto minhas raízes avançaram sob meus pés danificando o convés do barco e subiram atingindo a cabeça dela. Um corte se abriu e após ouvir o som de patas se aproximando rápido Warwick apareceu rosnando para mim. " - Evelynn!!!" Ergui minhas mãos e as balancei no ar negando ter feito o óbvio ataque. Ele tomou a forma de monstro novamente, o que balançou levemente o barco, e pegou um pano em uma gaveta vindo tratar o ferimento de Soraka. Ela delirava com a dor. " Warwick, volte comigo, eu não vou te matar, apenas fique comigo, apenas... deixe-me accorrentá-lo a mim para que nunca possam nos separar..." E desmaiou novamente. Ele continuou pressionando o ferimento enquanto amarrava o pano em torno da cabeça dela. " - Então você é uma flor assassina com senso de humor, eu não esperava por isto, pensei que seria bem mais inocente." Dei alguns passos até a amurada do barco tentando avaliar meu estado, o quanto estava longe, e se valia a pena tentar nadar de volta. Mas cheguei à conclusão que provavelmente me afogaria, eu havia entrado naquela armadilha com meus próprios pés e tinha que lidar com o problema. " - Existem muitas criaturas inteligentes na Ilha das Luzes senhor Warwick. Eu não me dou bem com os humanos mas não quer dizer que eu não tenha com quem conversar ou que eu não goste do senso de humor deles, não me subestime. Mas ainda acho que há opções melhores para esta sua missão do que eu, por favor reconsidere e me leve de volta."
Warwick deitou Soraka no chão e se aproximou da amurada voltando a ser um lobo, enquanto eu olhava para o mar tentando encontrar algum vestígio de terra ou luz. " - Não fui eu que escolhi você, apenas estou seguindo ordens. Se você tem problemas com os humanos porque subiu no barco quando eu disse que precisava salvar uma criança?" Ele olhava para o meu rosto tentando ver se eu estava sendo sincera. " - Apenas... Que as vezes em que me encontrei com humanos as coisas não saíram muito bem e eu acabei matando-os. Não sei porque subi no barco, me desculpe." Meu coração se apertava pois não sabia se ele atenderia meu pedido e a névoa não parecia ter fim. A fraca luz dos lampiões pendurados pelo barco eram as únicas coisas que me confortavam naquele momento, pois eu me sentia em um sonho vazio daqueles difíceis de acordar.
" - Entendo... Se você não tem um motivo para fazer isto acho melhor ficar o resto da sua vida naquela floresta até que a névoa consiga entrar e destrua tudo. Aliás, não vou te dar esta opção, não vou ter o trabalho de te levar de volta Evelynn, eu vou te matar aqui e agora." E antes que eu pudesse reagir fui atingida novamente com força pelo punho que saiu do peito dele e derrubada.

 

" - Não, espera..." Mas ele estava determinado, mal eu havia caído e aquele monstro estava em cima de mim, lembro dos golpes sem piedade no meu peito e no rosto e os cortes enquanto minha seiva escorria pelo convés. Tentei acionar minhas raízes para detê-lo, mas foi em vão, eu havia sido pega totalmente desprevenida. Em certo momento ele me prendeu pelo pescoço e ergueu o outro punho se concentrando para o golpe final.


[Continua no primeiro ou último post do tópico]

3 RESPOSTAS

Re: Lendas da Liga: Capítulo 1 - A Aliança

[Parte 2 de 3]

" - Você acreditou na primeira história de um estranho e saiu de seu lar, e agora que sente a névoa tocar sua pele esta apavorada. Tem certeza que não sabe porque você esta aqui? Eu não acredito que seja para proteger sua ilha, nem por um momento você pensou em avisar seus amigos ou pedir ajuda para eles. Por que você entrou neste barco Evelynn? Me diga o verdadeiro motivo ou eu vou matar você."
Ele afrouxou a mão deixando que eu caísse ajoelhada no chão. Eu chorava, apavorada e com dor, mas algo pesava mais em meu peito do que os golpes que ele havia me dado, então como um último esforço eu coloquei tudo o que estava reprimindo para fora " - EU ODEIO A NÉVOA! É isso, eu odeio a névoa... Quando eu era criança... Conheci um menino humano e por ser ingênua cometi um erro que causou a morte dele. Os pais dele vieram atras de mim, estavam afetados pela névoa e eu decidí mata-los. Alguns humanos que encontrei conforme crescia ficavam impressionados por eu ser algo único no mundo mas em algum momento minhas ilusões fora de controle os perturbavam e sempre levava ao mesmo fim, ou desapareciam ou morriam. Demorei muito para controlar minhas habilidades e finalmente não causar mais sofrimento para poder sair daqui e tentar novamente mas a névoa me assustava. Ela sempre foi como uma prisão determinando onde eu iria viver, a primeira vez que peguei um barco e me aproximei parecia como se estivesse esperando que eu me aproximar para me engolir. Agora que penso no tempo que perdi por não enfrentá-la vejo que sou uma covarde." Você surgiu e me deu exatamente a oportunidade que eu precisava, apenas algumas horas para me redimir, conhecer um pouco do mundo salvando alguém, sendo corajosa, então não pensei duas vezes e o segui. Mas eu nunca fiz isso antes e agora que estou aqui estou assustada, não sou forte como os outros. Acho que tenho que pagar pelos meus erros então que seja, apenas faça isto e nunca mais volte, apenas meus amigos vivem na ilha e não são uma ameaça para você ou qualquer outro." Sim, eu havia mentido para mim mesma por muito tempo, sempre desejei estar com os humanos e ver como eram as cidades. Quando Warwick apareceu na minha vida eu tive a esperança de que era possível entrar na névoa, de que eu conseguiria ter uma vida diferente sem me perder e ajudar a salvar uma criança era exatamente a oportunidade que eu estava esperando para me redimir daquele primeiro erro.

" - Enfim um pouco de verdade... Mas você esta morta Evelynn, tem estado morta a muito tempo e qualquer um que estivesse aqui no meu lugar poderia ter te enganado e acabado com você. A sua sorte e que você tem razão em uma coisa, preciso usar o que você pode fazer para completar minha missão. A pergunta é... Até quando você vai continuar morta? Se o medo domina a sua vida, então você não vive." Ele soltou um grunido de insatisfação e foi para a cabine conferir a direção do barco. Warwick sempre teve esta coisa de extremos, ele podia parecer sábio em um momento e ser totalmente impiedoso no momento seguinte, fiquei um bom tempo alí chorando até me levantar sozinha e ir atras dele. Ao entrar na cabine reparei que Soraka havia sumido mas não perguntei sobre isso, viajamos durante horas sem conversar. Tratei meus ferimentos da melhor forma que pude e descansei. Até que tentei quebrar a tensão que estava entre nós. Eu podia ter perguntado apenas o que aconteceu com Soraka mas dificultar as coisas era da minha natureza. " - Ela te vê como homem sabia? Digo, sem esse rosto monstruoso e estes cortes, quando ela te vê ela te enxerga como um homem normal, não com esta deformação. Agora que, bom você sabe sobre mim, não vai me contar o que acontece com vocês? Ela te ama e te persegue e você não pode retribuir por causa da névoa? Você quer acabar com a névoa para que ela volte ao normal e vocês possam ficar juntos?" Enquanto me ouvia ele apenas foi diminuindo a velocidade do barco e parando em um estaleiro improvisado, então sem me responder ele arrastou um caixão da parte de trás e o chutou de qualquer jeito para fora do navio em meio ao lodo do pântano. Pelo som do baque e o gemido vindo de dentro só podia significar que eu estava errada em minhas suposições, era Soraka.

Descemos do barco pelo outro lado, estávamos na margem de uma floresta sombria e conforme avançávamos eu olhava para trás tentando ver se o caixão caído afundaria. Não entendia como ele podia te-la protegido e depois descartado daquele modo. " - A névoa não vai deixar uma de suas melhores sacerdotizas morrer assim, ela irá se libertar e irá me perseguir novamente, pare de se distrair. Estamos em uma região conhecida como Kalápia e é neste lugar que esta nosso objetivo. É uma área hostil e podemos ser atacados a qualquer momento." Acenei com a cabeça olhando para todos os lados, não sabia o que esperar mas enquanto me preocupava comecei a me dar conta de que não fazia sentido Soraka ter aparecido na Ilha das Luzes, foi então que me dei conta de algo óbvio. " - Espera, ela veio com você! Você a prendeu naquele caixão e a levou até a ilha para me convencer a vir não foi? Como você pôde fazer isto?" E sorrindo ele continuou andando e disse. " - Evelynn, eu sou um profissional." E tendo que concordar com a esperteza diabólica daquele plano eu corri atras dele.
Warwick seguia tentando fazer o mínimo barulho possível farejando com seu focinho de lobo, eu me mantinha igualmente silenciosa enquanto avançávamos até que avistamos um grupo de ursos brigando ferozmente na clareira próxima a um lago. Eles tinham cortes profundos no corpo e pareciam doentes mas os golpes eram fortes e não aparentava que aquela luta terminaria tão cedo. Até que um vulto muito ágil e pequeno pulou do meio da briga e correu sendo perseguido pelos outros. Não dava para ver direito mas pelas roupas e a touca era um menino. Neste momento Warwick uivou e saiu de nosso esconderijo atraindo os ursos em nossa direção e eu estava perplexa.
" - É este o plano? Atrair os ursos furiosos para nós? E agora?" Mas Warwick já estava longe sendo perseguido pelos ursos, infelizmente para mim acabei atraindo a atenção de um com minha reclamação. Nunca havia corrido com tanta vontade quanto fiz naquele dia e era inútil pois ele era muito mais répido e estava quase me alcançando. Aquela coisa derrubou uma árvore que estava no caminho para tentar me pegar. Então procurei uma mais grossa e subi o mais alto possível. Ele começou a subir também mas era mais lento e pesado, meu plano era derrubá-lo quando ele estivesse no alto. " - Venha grandalhão. Venha ver sua mamãe." Assim que ele entrou no alcance ativei minhas ilusôes mas nada aconteceu, a mente do urso estava tomada por um ódio tão profundo que suas memórias não existiam mais.

A a cada nova cravada das garras a árvore chegava a estremecer, o urso era umas duas vezes maior do que eu então me concentrei e ativei minhas raízes para atingi-lo no rosto mas mesmo assim ele não esboçou reação e com aquele erro fui derrubada da árvore. " - MORRI! MORRI! MORRI!" Eu sabia o que viria em seguida, assim que eu atingisse o solo eu estaria machucada demais para me defender. Aceitando meu destino fechei os olhos com força e fui pega pelos braços de Warwick, o urso pulou de cima da árvore e foi atingido por um soco direto do punho monstruoso do meu salvador. Lembro de sentir o impacto no corpo de Warwick e o pescoço da fera se quebrando. Ele respirou fundo esperando que o corpo da fera atingisse o chão." - Você tem muito o que aprender mas não tenho tempo de te ensinar, da próxima vez apenas fuja. Não reparou ainda que suas habilidades estão enfraquecendo? Você ainda não se adaptou ao novo ambiente." Eu havia sentido uma diferença e ter certeza me fazia sentir mais indefesa, enquanto contornávamos o lago eu tentei continuar a conversa. " - Eu achei estranho a Soraka ter tido apenas um corte no navio, já imaginava algo assim. Obrigado por voltar e me salvar." Novamente em forma de lobo ele apenas parou farejando o ar e se escondeu atrás de algumas moitas. " - Nosso alvo está logo à frente, tente ganhar a confiança dele e se falhar eu aproveito para capturá-lo." Me abaixei e me escondi com ele sussurrando. " - Não viemos aqui salvá-lo? Por que vai capturá-lo? Se é perigoso por que tenho que fazer isto sozinha?." Erguendo a cabeça ele tentou olhar à frente e respondeu. " - A informação que temos é que ele matou várias pessoas que se aproximaram. Porque acha que fui buscar você? Sua habilidade talvez o engane, se ele estiver corrompido pela névoa a alternativa é matá-lo." Tendo o destino da criança em minhas mãos criei coragem e me levantei andando na direção indicada. Após alguns passos vi o garoto de costas, ele comia algo e parecia falar com alguém olhando para o lago mas não havia mais ninguém mais ali. " - Não custava você ter ajudado Annie, se divertiu vendo eles me atacarem?" Conforme eu avançava ele falou novamente mas desta vez se dirigia a mim em tom de ameaça. " - Pare ai mesmo. Não sei quem você é mas você veio aqui para morrer." E virou o rosto bravo mostrando os dentes cheios de mel para mim. Por um momento eu quase me desconcentrei, apesar de estar sujo e se esforçando para encarar agressivamente, o rosto dele era redondo e amigável e qualquer pessoa acharia dificil acreditar que apresentasse algum perigo. Warwick havia me enganado novamente pois se tratava de um pequeno urso usando roupas de criança, estava com alguns arranhões e machucados com a pata cheia de mel. Dei mais um passo com minha ilusão ativa e tentei acalmá-lo. " - Eu sou a pessoa que você mais confia, não precisa se preocupar." E ele arregalou os olhos enquanto eu dava a volta ficando de frente pra ele. " - Annie!" Eu não podia entender porque a pessoa que ele mais confiava podia assustá-lo tanto, o rosto dele mostrava receio enquanto me media de cima abaixo. Verifiquei minha aparência e não havia nada demais, era uma mulher ruiva e bonita em um vestido branco, mas ao tentar sorrir a minha boca se distorceu como se meus labios estivessem cortados além das bochechas criando um sorriso apavorante então cobri minha boca rapidamente enquanto o medo dele aumentava. " - Desculpe por isto, não queria te assustar." Ele deu um passo vacilante para trás, havia descoberto a farsa. " - Quem é você? Porque esta tentando se aproximar de mim?" Se eu insistisse em avançar ele fugiria então decidi manter minha posição enquanto um calafrio de preocupação começava a percorrer meu corpo. " - Eu sou a Annie, vamos, conversar, por que esta tão assustado?" Franzindo a sombrancelha ele fez a expressão de zangado novamente e ergueu a pata na minha direção, mas levei um tempo para perceber que não era para mim que ele apontava. " - Porque a Annie esta atras de você." E me virando devagar me deparei com os olhos arregalados e o sorriso insano próximo ao meu rosto. A criatura tinha a mesma forma que eu estava imitando mas era formada pela água do lago e flutuava me encarando com curiosidade. Aquela era a Annie e eu nunca havia levado tamanho susto em minha vida por isso minha ilusão se desfez por um preve segundo e ela mudou de expressão desfazendo lentamente o sorriso... Eu estava paralizada de medo, não sabia o que fazer, então Warwick pulou sobre o urso agarrando-o pelo pescoço enquanto se preparava para acertá-lo. Havia névoa se acumulando no punho de Warwick, talvez ele tivesse decidido que a missão havia fracassado e iria desferir um golpe mortal.

" - Warwick pare, não é culpa dele!!" Mas assim que o urso se assustou Annie passou por mim me deixando ensopada e avançou em cima de Warwick. Embora eu não tivesse sido ferida, a força que emanava de Annie havia arrancado Warwick de cima do garoto urso apagando os vestígios de névoa. Annie não estava satisfeita e iniciava uma troca de golpes com o agressor. Cada vez que as névoas se formavam e ele a atravessava com um golpe ela devolvia com o dobro da força nas costas dele desfazendo as névoas em seguida. Warwick havia encontrado uma oponente à altura.

[Continua na Última Parte]

Re: Lendas da Liga: Capítulo 1 - A Aliança

[Última Parte]

Estendi minha mão para o urso desfazendo minha ilusão, acreditava que Annie estava apenas protegendo-o e talvez com as palavras certas aquele problema podia ser resolvido. " - Ei garoto, você esta bem? Isso foi um mal entendido, nós não viemos aqui pra te machucar mas sua amiga é um pouco assustadora, Podemos tentar de novo? Eu sou a Evelynn, qual o seu nome?" E sorri para ele. Olhando minhas pétalas e minha mão estendida ele pensou um pouco até me devolver o sorriso e segurar minha mão. Ajudei-o a se sentar enquanto ele continuava me olhando. " - Meu nome é Tibbers, a Annie que você fez era igual a do meu sonho, pensei que estava ficando doido. Porque seu cheiro é doce?" As raízes não tinham funcionado bem, mas eu tinha me saído bem com a ilusão, Tibbers estava encantado comigo mas enquanto isto Warwick apanhava sendo seguido implacávelmente enquanto tentava fugir em forma de lobo.

" - Evelynn. MATE O GAROTO! Este espírito não vai descansar enquanto ele estiver vivo. FAÇA!" E ao me dar aquela ordem ele foi pego e engolido para dentro de Annie que se transformava em uma enorme bolha de água, Warwick começou a se debater em sua prisão enquanto o rosto de Annie o olhava e sorria se divertindo. O sorriso dela começava a mostrar feições cada vez mais assustadoras e o tom da água mudava de cor lentamente para vermelho. " - Tibbers, meu amigo não é mal, ele pensa que você esta matando pessoas. Pode pedir para a Annie poupá-lo?" Ele olhou para a cena preocupado e me abraçou mesmo se machucando um pouco com os espinhos. Ficou claro que Annie não era exatamente uma amiga. " - Ela não para, ela não deixa as pessoas se aproximarem de mim. Eu ja tentei antes mas ela não para, Ela vai matar seu amigo e... depois vai te matar. Vá embora!"
Naquele momento lembrei do que passei quando era criança e conheci o garoto humano. Ele havia se apaixonado por mim e queria me agradar mas também não tinha respeito por regras. Com ele roubei doces e eu fui a lugares que não tinha coragem de ir, como os limites da barreira. Contei a ele sobre meu medo das feras da ilha e ele quis enfrentá-las mesmo eu pedindo que ele não fizesse. E então houve o acidente, ele caiu de cabeça dentro da toca das bestas e quando ví que elas haviam o devorando eu fugi. A culpa era minha, se eu tivesse sido mais dura e estabelecido um limite ele não teria morrido. Tibbers estava em uma situação semelhante e eu não podia permitir que aquilo continuasse. " - Ordene que ela pare Tibbers. Faça ela entender que você não quer isto." Mas ele vacilava entre tentar me fazer correr e ajudar Warwick, então a bolha explodiu formando uma poça em volta do corpo imóvel do lobo. " - Não posso, não tenho coragem! Se eu a enfrentar ela vai me matar, vá embora enquanto pode!"
Eu o empurrei para o lado e comecei a me concentrar enquanto a poça de água tomava novamente a forma da mulher com o vestido. O tamanho dos braços e pescoço estavam mais longos deixando Annie ainda mais assustadora à medida que ela se virava e olhava para mim. Eu não sabia se minhas habilidades fariam efeito contra ela mas eu precisava ao menos tentar resistir.
" - É assim que você quer viver? Isolado enquanto ela mata a todos à sua volta?" Ele se colocou na minha frente enquanto Annie vinha flutuando e fez sinal para que ela parasse, mas não houve mudança. " - Muitas pessoas são ruíns, eu não consigo me sentir mal pelas pessoas que ela matou. Acho que isto me faz mau também." E a poucos passos me preparei para empurrar ele para o lado e criar minhas flores de luz. " - Eu não vivo aqui, então não sei o que você passou ou quão ruim esta a situação dentro da névoa, mas agora eu sei que há pessoas boas vivendo neste caos e eu não vou mais viver fugindo Tibbers, não vou fugir agora!"

Annie havia entrado no meu campo de ação e depois de tirar Tibbers do caminho minhas raízes avançaram fazendo o chão começar a brilhar. Ela estendeu primeiro o longo pescoço para poder me encarar com aquele sorriso psicótico e então Tibbers pulou novamente na minha frente e estendeu os braços. " - ANNIE PARE! Eles são nossos amigos e se quiser mata-los vai ter que me matar também!" E ela virou o rosto na direção dele inclinando-se de um lado para o outro como se estivesse testando sua determinação. Eu estava prestes a tira-lo do caminho novamente quando ela se desmanchou voltando para o lago. Respirando fundo impedí que minhas flores de luz brotassem mas levamos um baita susto ao ouvir uma grave voz inesperada em tom alto e firme. " - MUITO BEM! Nada mal para uma novata, você tem potencial a ser explorado Evelynn." Olhamos para trás e o lobo Warwick estava sentado ainda encharcado nos observando e apesar da escuridão eu quase posso afirmar que ele estava sorrindo enquanto se sacudia.
" - Como você esta de pé? Eu pensei que estivesse morto.?" Indaguei surpresa enquanto ele dava dois passos mancando em nossa direção. " - Tenho treinado em prender a respiração desde que ouvi falar sobre o caso. As vitimas sempre estavam molhadas e a causa de algumas das mortes foi afogamento. Mas ela força a entrada até que a pessoa deixe o ar sair. Não sei se tive sorte ou se ela não quis me matar mas acredito que ela também não irá nos dizer. Admito que fui surrado, o que significa que sua amiga é bem forte. Você é o Tibbers então, posso dizer que combina, você tem cara de Tibbers. Eu sou Warwick e sera que podemos esquecer aquela parte que eu pedi pra te matar? Ela é uma novata, nem ia saber como fazer isso, ok?" Tibbers ouviu aquelas palavras meio na defensiva e eu encarava Warwick com um sorriso irônico. Como ele podia ser tão dissimulado? Mas era o que Warwick fazia e o "garoto" estava caindo naquela lábia. " - Tudo bem, acho, pelo menos ninguém morreu desta vez. Mas por que vieram atras de mim?" Me sentei à beira do lago e observei o ambiente, era o mesmo clima sombrio e pesado. A lua estava lá em cima em algum lugar mas a luz não atravessava a névoa da maneira certa. Não estava escuro demais mas não estava corretamente claro e era incômodo mesmo estando juntos. Olhei para baixo e lá estava o rosto de Annie me observando dentro do lago e me perguntei quem seria ela? Sera que ela apenas o protegia ou se divertia e seria capaz de matá-lo? Enquanto eu tinha este momento de reflexão, Warwick tentava convencer o garoto a ir com ele assim como havia me convencido, desta vez sendo finalmente mais claro.
" - Somos a resistência espalhada por toda Terarune dos que que não foram afetados pela névoa e lutamos para impedir a névoa e fazer o mundo voltar ao normal. Não somos muitos mas abrigamos e protegemos os indefesos que são imunes à influência da névoa e precisamos da sua ajuda. Vocês podem ser jovens, mas com treinamento e as habilidades que têm podem nos ajudar a melhorar as coisas." Tibbers ouviu com atenção as palavras de Warwick e então esboçou um largo sorriso. " - Então se eu aceitar vocês vão ser meus amigos? E eu vou fazer novos amigos?" Sorri pela pergunta inocente de Tibber e ao ir até ele coloquei a mão em seu ombro, amizade era mais importante para ele do que entender no que estava se metendo. " - Claro que somos seus amigos, mas não fique tão empolgado, conheci Warwick a algumas horas e quase morri umas três vezes. Por isso pense bem no que ele esta te propondo ok?" Warwick tomou aquela grotesca forma novamente assustando Tibbers que se escondeu atras de mim. " - Escutem vocês dois, não vou prometer que as coisas vão ser bonitas, há muitas coisas mais assustadoras que eu no mundo. Vocês serão soldados lutando por uma causa, terão que aprender a se controlar e se defender quando um amigo se ferir ou morrer. A opção é continuar nesta floresta lutando com os ursos atrás de um pouco de comida ou esperar que seu lar seja atacado e destruído. Nem tudo serão flores mas eu estou dando uma alternativa a vocês dois." Ele falou olhando mais para mim do que para Tibbers, mas a resposta do pequeno foi rápida. " - EU ACEITO!! Não quero mais ficar aqui e não tenho nada a perder." E ao ver a reação de Tibbers abaixei a cabeça pensando sobre aquilo por um momento. " - Então não era apenas esta missão não é?" E ele estendeu a mão esperando que eu selasse aquela aliança. " - Você vai querer perder isto?" Eu estendi um pouco a mão mas hesitei... Ele tinha razão, eu sabia que apenas havia começado e se eu aceitasse não conseguiria voltar atrás, mas... " - Estou morta não estou? Preciso voltar a viver. Só me prometa que vou poder voltar para a minha Ilha de vez em quando, tudo bem?" Ele acenou que sim e eu finalmente segurei firme aquela monstruosa mão seguida pela pata de Tibbers. Aquele dia nos tornamos aliados e irmãos da futura Liga que se formaria e algo dentro de mim queria muito aquilo.

Prévia do próximo capítulo
"Eu sou Evelynn, a rosa mortal. Após ser perseguida pelo lobo Warwick minha vida mudou.
Quem é a garota que luta sozinha contra uma cidade?
Por que o maior assassino de Overpilt está atrás de mim?
As caçadoras estão em nosso encalço. Warwick, não fui treinada para lidar com isto.
Me ajudem!"

d Re: Lendas da Liga: Capítulo 1 - A Aliança

Ward para ler amanhã tomando meu café.

Rex tremendae majestatis
Qui salvandos salvas gratis
Salve me, fons pietatis
Salve me, fons pietatis