cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

História De Um Bartender (Lore)

Aronguejo

História De Um Bartender (Lore)

  Era um dia qualquer naquela taverna, as crianças passeavam nas ruas, o pessoal que saía de seus trabalhos vinham aqui para relaxar um pouco, encrenqueiros..... bom, encrenqueiros não são tão... como posso dizer..... não tem uma "recepção maravilhosa" por aqui. Mas um dia, um grupo de crianças chegou no meu balcão e me fizeram uma perguntar peculiar:

 

- "Senhor, você já ouviu falar do justiceiro Royce? Os habitantes sempre falam desse cara mas eu nunca vi ele."

 

  Normalmente eu só ignoraria essa pergunta pois quem acredita em lendas né?

 

-"Aonde vocês ouviram falar desse Royce?" Perguntei eu.

 

-"Nós falamos com o meu pai, Rufric, conhece ele?" Perguntaram elas. - "Ele nos disse que á noite quando todos vão dormir Royce guarda essa cidade com sua incrível agilidade e seus elementos surpresas."

 

     Ah sim, Rufric, todo dia vinha aqui, exausto de tanto trabalhar, sempre reclamava de seu trabalho falando que ele não merecia aquilo, que até um catador de **cogumelo do teemo** era melhor que aquilo, mas nunca tive a ousadia de perguntar o porquê.

 

-"Hmmmm, ok crianças já que vocês querem saber a verdade vou contar a história de Royce para vocês."

 

               Há muito tempo atrás, nasceu um menino em uma família de 4 irmãs, desde pequeno, já demonstrava uma ótima habilidade com sabre então com apenas 4 anos sua família o colocou em aulas de esgrimas, foi lá que ele aperfeiçoou suas técnicas, porém ele sempre era superado por um tal de Hai, Hai superava Royce em quase todos os aspectos, desde velocidade até técnica, então com 7 anos Royce se cansou de perder para Hai, em uma noite Royce ficou planejando vários tipos de trapaça, até mesmo, facas escondidas ou movimentos ilegais, tudo que era errado Royce via como algo desperdiçado. Muitas vezes Royce passava noites em claro encondido de sua família aperfeiçoando não técnicas de esgrima mas sim suas próprias técnicas.

 

 -"Mas por que ele não treinava como todos os outros? "Perguntou uma menina." Por que ele simplesmente não treinava como os outros grandes esgrimistas para se tornar o melhor?"

 

-"Muitos dizem que ele bem que tentou isso, mas o ódio que ele tinha por Hai era muito para o vencer em uma batalha honrada." Respondi. -"Ele mesmo sabia que ele não seria melhor que Hai então o jeito era vencer, de qualquer jeito.Mas enfim aonde eu parei? Ahh é mesmo, bom..."

 

          Aos 12 anos, a oportunidade perfeita apareceu, seu professor o colocou contra Hai pela primeira vez em meses, e foi aí que Royce começou a mostrar suas técnicas desonradas, quando Hai avançava Royce usava um vidro de amônia para desconcentrar seu oponente, quando Hai recuava Royce partia pra cima passando a sua espada nas pernas de Hai para que ele perca o equilíbrio e que caísse. No fim o professor (claramente) notou que Royce estava trapaceando e o expulsou de sua escola.

   Mas isso só encheu Royce de mais raiva, ele treinou dia e noite por vários meses sem parar, cada vez mais aperfeiçoando suas técnicas para que fiquem cada vez menos perceptíveis, nas horas vagas ele trabalha na sua lâmina que ele mesmo chamava de "Gigalabesh" mas algo faltava em sua lâmina, já que ele nunca a usaria em competições para que ele iria fazer ela de metal ou aço?.

    Ao completar 19 anos Royce, em um bar como esse, ficou sabendo dos Cristais Hextech e como eram poderosos, então esse era seu objetivo: Aperfeiçoar a Gigalabesh com o incrível poder dos cristais hextech. Royce sabia que esse era um caminho sem volta, abandonar sua família simplemente por vingança e inveja, mas o caos já estava implantado em seu coração.Por meio de contatos, Royce conseguiu um passaporte para Piltover em uma caravana de comércio, chegou lá mais rápido do que esperava, chegando em piltover saiu á procura dos cristais hextech, achou uma loja que vendia os cristais Hextech tão aguardados, chegando lá o preço dos cristais o assustou mas não o surpreendeu tanto, logicamente não tinha dinheiro para comprar se quer um fragmento de cristal, mas tudo ia acabar assim? Chegar tão longe para desistir?

 

-"Não!" Gritou Royce -"Não vou desistir assim."

 

          Algumas horas se passaram e já estava na hora de fechar a loja, o comerciante estava quase fechando a porta até que ele sentiu algo na sua perna.

 

- "Um dard......."*Pof*

 

           Um dardo tranquilizante fabricado pelo próprio Royce, apesar de não nocautear completamente nas maiores doses esse veneno paralisa até 90% dos músculos. Tudo que o comerciante conseguia ver era uma silhueta entrando em sua loja, disparando o alarme, roubando apenas um cristal hextech e fugindo na noite para nunca mais voltar.

          Voltando para Demacia, Royce sabia que ele não pdoeria simplesmente aparecer na frente de Hai e enfiar seu sabre de energia Hextech em seu peito e ir embora, foi então que, após 3 noites fabricando seu chapéu, chegou a hora. Incansável, procurando vingança, não demorou muito para que naquela noite ele econtrasse Hai. 

     O encarando Royce fala:

 

-"Hai, há quanto tempo hein?"

 

-"Desculpe senhor, quem seria você? Responde Hai -Hmmm... Ah, você é aquele cara que tentou trapacear para vencer na nossa infância não é?"

 

-"Incrível como sua memória anda boa, mas fala pra mim, você tem honra?"

 

-"É claro que tenho!"

 

-"Então você aceitaria uma batalha aqui e agora? Só para relembrar os velhos tempos?"

 

-"Claro! Mas lembre-se se você perder..."

 

-"Não se preocupe comigo perder, se preocupe com VOCÊ perder."

 

        Então naquela noite Royce mostraria para Hai que ele não era aquele pequeno trapaceiro. O único barulho naquela noite era metais se chocando, até que em um embate de espadas Hai olha para a ponta da Gigalabesh e vê um cano de fuzil se levantando  e derrepente *BANG* o tiro acertou sua perna esquerda. foi quando Royce disse

 

-"Gostou? como não estamos sendo vigiados resolvi implantar algumas "regras". Você entende né? Você é fã de regras"

 

-"ISSO NÃO TEM NADA A VER COM AS REGRAS DA ESGRIMA!!".Gritou Hai.

 

-"Rapaz, vou te dizer uma coisa, o mundo em que estamos não existe regras, não existe trófeus, não existe ninguém te dando ordens, e quanto antes perceber isso melhor será." Disse Royce

 

- "Mas por que trapacear?" Perguntou Hai

 

-"Por que, uma vitória pode salavr sua vida" Repondeu Royce

 

                Após isso Royce foi embora na escuridão da noite deixando Hai sangrando, mas não se preocupem Hai passa bem, porém após ter sua vingança e vencer Hai em uma batalha Royce ficou sem objetivos, até que simplesmente brotou uma idéia na cabeça dele, ser um Justiceiro, mas não um justiceiro Honrado, um justiceiro com suas própria regras e mostrar para todos como o imprevisível é a melhor arma.

 

- "Uou, mas como o senhor sabe tanto do Royce?" Perguntou o menorzinho do grupo.

 

- "Oras, um dono de bar escuta muitas história por dias, é como um quebra cabeça, juntando partes aqui e ali você tem a história completa. Dizem que Royce chegou até a batalhar com fiora uma vez, mas isso são só boatos."Respondi

 

-"Tem algo mais que você sabe sobre o Joyce?" Perguntou a menina

 

- "Bom eu sei que o nome dele é Royce, não Joyce, Alexandro Royce Rowe para ser mais exato" Repondi - "Agora vão brincar, esse vocês ficaram muito tempo dentro de um bar para alguém de sua idade."

 

      depois de terem se despedido as crianças sairam do bar. E eu sei que elas estaram seguras, pois comigo nessa cidade, tudo estará seguro.

 

      Eae pessoal, demorei para fazer mas eu consegui, então essa é a lore do meu campeão chamado Royce, eu vou lançar o kit dele em breve então aguardem, e como ficou a lore? enrolei demais? escrevam se eu cometi algum erro e deixem o "GG!" caso realmente gostou! até a próxima Rayo se despedindo

-A dor é temporária, a Vitória é eterna