cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Linha do tempo de Runeterra parte 1

Aronguejo

Linha do tempo de Runeterra parte 1

Olá pessoal! Nesse post eu vou fazer uma linha do tempo com a historia do LoL, estarei separando ela em varias partes pois o forum não suporta mais posts gigantes(infelizmente). Quero lembrar que a linha do tempo sera resumida, pois tem informação demais para colocar, espero que gostem: 

O inicio do universo

Junto do inicio do universo, Aurelion Sol nasceu, ele vagou pela vasta imensidão do Universo, ainda vazia, preenchendo o universo com a luz de gigantescas aglomerações de plasma, que futuramente seriam chamadas de estrelas. Outros seres cósmicos, como outros dragões celestiais, provavelmente surgiram nessa época, à maioria deles é desconhecido, mas Bardo como um protetor do equilíbrio cósmico, provavelmente surgiu nessa época, mas é possível que ele tenha surgido antes, em outra realidade protegendo outra dimensão antes dessa, mas isso seria apenas especulação.

 

Fontes: Lore do Aurelion Sol

 

A formação dos mundos e de Runeterra

Bilhões de anos depois, os destroços das estrelas mortas se juntaram e formaram os mundos, porem, um mundo era diferente, ao redor do Sol, uma das criações mais antigas de Aurelion Sol, seres ainda desconhecidos usaram as Runas Globais, fragmentos de magia pura que podem alterar o tecido da realidade, para criar Runeterra (como o nome já diz terra de Runas) a partir do nada, não sabemos se outros mundos também foram criados a partir de Runas, mas pelo que sabemos o único mundo ate agora criado por Runas foi Runeterra(lembrando que existem diferentes tipos de runas, Runas Globais tem um poder gigantesco, diferente das ''runas normais'', irei falar das runas normais mais tarde. Quando eu abreviar Runas Globais como Runas irei escrever com R maiúsculo e as ''runas normais'' com r minúsculo).

 

Fontes: Lore do Aurelion Sol

Lore do Ryze

 

As Ilhas das Bênçãos

Quando Runeterra foi criada, no extremo Sudeste do mundo, uma sucessão de ilhas de rocha e argila emergiram das profundezas do oceano, junto dessas ilhas nasceu o espirito Maokai, ele assumiu o corpo de um ente, com um corpo alto coberto por cascas de árvore e membros longos que lembravam troncos (os espíritos não tem corpo físico definido, eles são seres de pura magia e sua aparência em nosso mundo é ilusória, sendo assim eles podem alterar a sua aparência e a forma de seu corpo no mundo material quando quiserem).  Maokai vagou sozinho nas ilhas, não conseguindo achar nenhuma forma de vida além dele, ate que, em uma ilha montanhosa de solo rico e úmido, Maokai sentiu uma energia abundante debaixo da terra, ele enterrou suas raízes no solo ate alcançar uma nascente de águas magicas, com o poder da Fonte Sagrada (como a nascente magica seria chamada futuramente) Maokai gerou centenas de mudas e as plantou em cada uma das ilhas, quando as mudas cresceram elas geraram florestas, bosques e matas emaranhados com a magia da Fonte Sagrada, essa vegetação magica atraiu espíritos da natureza e animais e logo as ilhas se tornaram uma floresta magica e selvagem. Essas ilhas no futuro seriam chamadas de ilhas das Bênçãos.

 

Fontes: Lore do Maokai

/dev: Sobre a evolução dos Vastaya

 

Os Brackern

Os Brackern são uma das raças mais antigas de Runeterra, eles são escorpiões cristalinos de grande conhecimento e de profunda conexão com a terra, eles têm suas almas infundidas com poderosos cristais vivos as memorias e pensamentos dos Brackern que se foram. Há muito tempo cada Brackern vivo se uniu a uma pedra preciosa do deserto, depois da morte desses Brackerns, coisa que era rara, pois os Brackerns viviam milênios, suas pedras eram enterradas no deserto para que no futuro outro Bracken se fundisse a ela. Como o numero de pedras-nome não era infinito e sem a pedra-nome a vida do Brackerns era curta, então os jovens Brackerns buscavam sua pedra-nome muito cedo. Um dia um Brackern chamado Skarner nasceu, ele passou anos sem conseguir achar sua pedra-nome, um dia, quando estava quase desistindo ele sentiu uma consciência incrivelmente poderosa se manifestar em sua mente, ele cavou o mais rápido que conseguia, ate sentir o calor do coração do mundo em seu casco, ele cavou por dias e a consciência o chamava cada vez mais, ate que encontrou o maior cristal que ele já viu, por semanas ele realizou o ritual de conexão, ate o cristal se fundir com seu corpo, com a fusão completa Skarner se tornou o Brackern mais forte vivo.

Ps: Não sabemos quando Skarner nasceu, então eu coloquei ele aqui mesmo mas provavelmente ele surgiu depois dessa época, mas temos certeza que ele nasceu antes das Guerras Rúnicas. Os Brackern em si provavelmente surgiram nessa época mesmo.

 

Fonte: Lore do Skarner 

 

Evolução da vida em Runeterra

A medida que o tempo foi passando, novas espécies foram surgindo em Runeterra, lembrando de uma coisa, existem 2 ''reinos'' em Runeterra, não no sentido biológico, mas sim 2 existências diferentes, o Mundo espiritual aonde as almas de todas as pessoas, o espírito dos animais, as essências das espécies e dos lugares, elementos e até ideias existem como forças poderosas que interagem e criam um tipo de magia em Runeterra chamada de magia espiritual, os espíritos desse lugar não tem uma forma especifica, eles são amorfos e quando eles se materializam no mundo físico, eles podem mudar a própria forma do jeito que quiserem, a maioria dos espíritos elementais e da natureza surgiram nessa época. Os espiritos de animais, pessoas e seres vivos no geral mudam de corpo quando o corpo morre fazendo assim um ciclo de reencarnação, aparentemente esse ciclo é regido por Nagacáburos e Nagacáburos também ''coloca'' desejos nos espiritos dos seres vivos, mais seguir os seus desejos é um escolha individual. Os dragalopes, espiritos imortais(literalmente imortais, não apenas no sentindo de não morrer de idade) do vento com uma pele imprenetavel, velocidade sobrenatural e que por alguma causa desconhecida se assustam de um jeito incrivelmente facil, tambem surgiram nessa epoca, provavelmente existem poucos deles, pois como eles são completamente imortais, se existissem muitos eles estariam bem espalhados e seriam bem conhecidos, ja que todoo dragalope que nasceu ainda esta vivo. Uma espécie que tambem surgiu nessa época foram os Vastayashai’rei, uma espécie que conseguia viver entre o mundo espiritual e o mundo físico, eles absorviam outros espíritos mágicos para sobreviver por longos períodos próximos ao mundo espiritual e diferentes dos outros espíritos tinham um corpo físico verdadeiro para conseguir sobreviver no mundo físico. À medida que o tempo foi passando os seres vivos começaram a reconhecer a morte, então os Kindreds surgiram primeiro os seres aceitavam sua morte e apenas a Ovelha existia, mas quando novas espécies mais inteligentes surgiram, elas começaram a fugir das flechas da Ovelha e foi necessário que um novo ceifador surgisse então o lobo surgiu para punir aqueles que rejeitam a morte com uma caçada dolorosa e violenta. A Evelynn e o Nocturne também nasceram nessa época, mas não como eles são hoje, mas sim como um resquício de sombra, amorfo e não senciente, Tham Kench  também podem ter surgido nessa época, porem no mesmo estado da Evelynn, mas não temos certeza se os demônios surgiram da mesma maneira, então é apenas uma possibilidade. A raça dos minotauros provavelmente também surgiu nessa época, mesmo que tenhamos pouca informação sobre eles e seja difícil afirmar qualquer coisa sobre eles. Os Yordles provavelmente surgiram nessa época, porem, mais primitivos, como podemos ver pelo Gnar, mas desde o inicio eles já eram criaturas que viviam milhares de anos, com sentidos e habilidades sobre-humanas e grande conexão com o mundo espiritual, tanto que conseguem sentir a magia espiritual e chegam ate a ter algumas características dos espíritos, como por exemplo a aparência ilusória, mesmo que aparentemente eles não conseguiam controlar a aparência que tem naturalmente, apenas com um dispositivo criado por Heimerdinger chamado de transformicador visual, mas que ainda não existia na época. Não sabemos se a transformação em surtos de raivas é um mecanismo de defesa exclusivo de Gnar ou era natural para os Yordles, futuramente, uma parte dos Yordles iria evoluir para uma raça anfíbia da qual Fizz faz parte, também não sabemos se eles surgiram em Bandopolis, um lugar aonde as cores são incrivelmente vívidas, a comida e a bebida deixa um gosto incrível na boca por anos, o sol nunca se põe, as águas são cristalinas e toda colheita é imensamente frutífera. Também é um local de magia irrestrita, aonde o tempo passa muito diferente do que no mundo real, mas eles também podem ter surgido em algum outro lugar de Runeterra e colonizado Bandopolis depois, mesmo que a primeira seja mais provável, mas algo que temos certeza é que desde muito cedo já haviam Yordles em Freljord.  Como Nagacuburos também é o deus da vida é possível que ele tenha influenciado ou ate mesmo iniciado o desenvolvimento da vida em Runeterra

 

Fontes: /dev: Sobre a evolução dos Vastaya

Lore dos Kindred 

Teaser dos Kindred (o que eu falei sobre eles foi meio que um interpretação do teaser que eu vi em um dos comentários do vídeo, mas não conseguir achar o comentário em si, então falei do que eu lembrava e de uma parte da minha própria logica)

Lore da Evelynn

Uma noite quieta(conto da Tristana)

Pagina de Bandopolis

Nova lore do Fizz

Lore da Illaoi

 

As lendas perdidas de Ornn: a formação de Freljord e a origem da neve

Ornn e seus irmãos Volibear, Anivia e a Irmã Foca ( Ornn pode ter mais irmãos, mas por enquanto nos só conhecemos esses) são semideuses filhos de uma divindade desconhecida com um espirito(já que espíritos são amorfos isso explicaria todas as diferenças entre os 4) ou com uma quimera(junção de vários animais em um só ), Ornn é o primogênito de seus irmãos e chegou a Freljord com vontade de lutar, ele tentou socar arvores mas elas se quebravam muito facilmente, ele tentou lutar contra icebergs mas eles se derretiam quando ele os socava, ele socou uma montanha e ela não cedeu, então Ornn começou a lutar contra própria terra, ele a amassou e a deformou criando montanhas e vales, quando se cansou, ele agradeceu a terra e ela o respondeu abrindo uma grande depressão ate o coração da própria terra: um carneiro flamejante. A terra considerou Ornn digno e compartilhou seu poder o dando a força da chama primordial, depois disso Ornn se empenhou em criar ferramentas e armas. Nos dias em que ainda não nevava em Freljord, Ornn construiu uma casa que tinha o tamanho de três vales e se chamava Salão do Chifre, quando acabou Ornn elogiou seu trabalho dizendo ''Bom'', porem Anivia se incomodou com a construção da casa, pois Ornn usou a madeira das arvores onde Anivia se empoleirava, então ela decidiu se vingar, enquanto Ornn dormia, Anivia roçou uma de suas penas em seu nariz, fazendo-o espirrar uma bola de fogo que incendiou toda a casa, o incêndio durou dias e cobriu o céu com cinzas, quando Ornn acordou ele achou que seu elogio causou aquele incêndio e prometeu que nunca mais elogiaria seu trabalho, mas deixaria que a qualidade de trabalho falasse por ele. Então Ornn decidiu construir uma nova casa que não fosse inflamável, pra isso ele criou uma pá, uma alavanca e um garfo (para comer cerejas em conserva). Ele martelou e moldou a terra ate formar uma montanha com uma forja que canalizava a chama primordial da própria terra, mas a Pedra-lar, como Ornn nomeou sua nova casa se tornou um dos lugares mais quentes de toda Runeterra, quente ate mesmo para Ornn, então ele cavou um fosso do mar a montanha e a Irmã Foca permitiu que as águas mais frias percorressem a Pedra-lar, três dias se passaram ate que a montanha ficasse fria o suficiente para Ornn e durante esse tempo tanto vapor subiu aos céus, que só era possível ver as nuvens acinzentadas, com o ar frio de Freljord as nuvens se congelaram, caindo no chão como neve por 100 anos, trazendo a neve a Freljord ate os dias de hoje.

 

Fonte: As lendas perdidas de Ornn  (ele tem 2 contos, esse é um deles)

Irei ir soltando mais partes do post com o tempo e quando soltar tudo farei um post com o link para todos, obrigado Atgo